4 mil sindicatos devem desaparecer com o fim do imposto sindical

Passada a reforma, dizem especialistas em mercado de trabalho e sindicalismo, o número de trabalhadores em sindicatos no Brasil tende a encolher, de um lado, porque muitas entidades terão de se reestruturar para sobreviver com um orçamento menor e, de outro, porque centenas de sindicatos deixarão de existir.

A extinção do imposto terá maior impacto sobre cerca de 7 mil dos quase 12 mil sindicatos de trabalhadores do país, diz o consultor sindical João Guilherme Vargas Netto, já que cerca de 5 mil entidades representam funcionários públicos e da zona rural e têm grande parte das receitas garantidas por mensalidade paga pelos afiliados.

Daqueles 7 mil, ele afirma, 4 mil são sindicatos “de carimbo”, que não negociam melhores salários ou melhores condições de trabalho para suas bases e existem exclusivamente por causa do imposto. “Esses tendem a desaparecer”, ele diz.

Da forma como foi instituído, em 1937, o imposto sindical tende a provocar a dependência do sindicalismo em relação ao Estado e o distanciamento em relação aos trabalhadores que representam, afirma Andréia Galvão, professora do departamento de ciência política da Unicamp.

Assim, a mudança trazida pela reforma poderia estimular um sindicalismo mais independente e mais representativo, ela diz. Sem a garantia de recursos financeiros, os sindicatos precisariam se preocupar mais com o trabalho de base, já que passariam a depender de suas próprias forças, isto é, de seus filiados e suas contribuições voluntárias.

A reestruturação do movimento sindical, acrescenta Vargas Netto, vai levar a um reagrupamento das entidades, com demissões e corte de áreas que não sejam fundamentais.

As informações são da BBC.

Anúncios

14 comentários sobre “4 mil sindicatos devem desaparecer com o fim do imposto sindical

  1. mas não é um número total de cerca de 15 mil? De qualquer modo, o simples fato de eu não ser obrigado a sustentar aquilo que eu nao quero…já é um passo a liberdade…ainda que pequeno

    1. Sim, um grande passo, pois se falam tanto em democracia, mais vc é “obrigado” a votar, a se alistar, e a pagar imposto sindical, parece mesmo uma ditadura.

  2. É ilegal obrigar o trabalhadora pagar “Sindicatos”. Eles só atendem a interesses pessoais, emprego para os amigos, cargos para juízes classistas que aposentam-se em 8 anos de “serviços” prestados”, vão a audiências e sentam-se num banco afastado e o empregado nem sabe quem é ele. Nunca se manifestam frente aos de carreira, apenas assinam anuência e recebem salários gordos. No mais, o quadro de elite dos sindicatos, vivem viajando a “serviço” dos interesses sindicais.

  3. O número de sindicatos chega a 17.000. O imposto sindical é da CLT de 1943. O desaparecimento de 4.000 sindicatos é muito pouco. Deveriam sobreviver algo como uns 200 e olhe lá.

  4. Quem vai negociar com o patrão?
    Cada funcionário individualmente .
    E lamentável que tenha sindicato de carimbo que recebia imposto Sindical.
    E os 5 S que os empresários recebem do governo.
    Movimenta milhões e não sabemos quem recebe e o que fazem

  5. Já estava passando da hora de os brasileiros que realmente trabalham se desobrigarem dessa contribuição sindical! Durante uma vida fomos obrigados a essa contribuição sem pelo menos termos o direitor de saber em que o nosso dinheiro era gasto! Confiamos que essa contribuição jamais volte a ser negocida para retornar essa cobrança!

  6. Trabalho embarcado a 26 anos regime offshore,não entendo porque o sindicato que defende a nossa classe nunca brigou por um salário maior ou que se equiparassem com os salários das refinarias ou estaleiros.por isso sou a favor de acabar com alguns sindicatos patronais.

  7. Otimistas. Não teremos nem 200 sindicatos. Por que vou autorizar 1 dia de trabalho para eles quebrarem tudo e eu ter que pagar pra consertar depois?

  8. quero que acabem é todos os sindicatos, não to aqui para trabalhar e dar um dia do meu salario para vagabundos curtirem a vida com o dinheiro do meu suor

  9. Amados! Infelizmente a classe empresarial conseguiu tirar o empecilho que eles tinham, sem o sindicato para nos orientar qual o melhor caminho a seguir, e nos representar, fica esta função a cargo dos empresários, e com as mudanças nas Leis, de que, o que vale mesmo é o acordo que fazemos com nossos patrões, aí neste caso fica valendo o acordo e as leis se calam, perdem seu valor… Em resumo, estamos entregues nas mãos dos lobos empresariais sem leis para nos defender. Ah! E tem mais, se a desculpa a respeito dos sindicatos era que os mesmo ganhavam dinheiro sem fazer nada; diga-se de passagem, nada em favor dos empresários e sim dos trabalhadores, mas agora resolveram que temos que pagar pela justiça do trabalho que deixará de ser gratuita, pois qualquer que seja os valores a ser tratado, com certeza é maior que o valor mínimo que eles estabeleceram. EM RESUMO! PALHAÇADA MESMO E FALTA DE RESPEITO COM OS TRABALHADORES BRASILEIROS e um monte de analfabetos políticos apoiaram isto.. Ir. Rogério Silva (84) 99120-9471

  10. Amados! Eu acho interessante muitos de vocês estarem contra o pagamento da Contribuição Sindical…

    Agora fico me perguntando, acho que vocês nunca precisaram do SUS, por exemplo, pois pagamos para termos e sermos assistidos com o que já estamos pagando, que de acordo nossa constituição, o que pagamos nos dar direito a uma boa assistência a Saúde, Educação e Segurança, mas creio que estes serviços vocês devem ter de qualidade, pois não vejo vocês reclamarem dele; mas da “Contribuição Sindical”, amados! Se existe uma deficiência em nossa representação, “ruim com ela, pior sem ela”; acontece amados que o restante da população esta carente destes serviços, vejam ai os noticiários, até o direito a uma Universidade gratuita não vamos ter mais, o Temer já tem projeto para cobrar mensalidades e o SUS, que já não temos direito a um raio x e alguns exames de sangue que já perdemos este direito também, mas parece-me que para você tudo bem, pois se tivessem problemas neste sentido creio que vocês reclamariam.

    Amados! O que muitos de você não perceberam ainda, é que a última barreira que tínhamos para garantir que nosso direitos fossem respeitados, caiu, agora ou você paga, na verdade está obrigado a pagar e mesmo assim a Lei não poderá mais fazer nada por você a não ser garantir que você aceite o acordo que fez com seu patrão, pois este sim! Agora é Lei.

    Outra coisa amados! Por mais capenga que fosse os Sindicatos, eles eram de certa forma temidos pelos patrões, que eram os maiores interessados por sua queda, mais parece-me que muitos trabalhadores também. É uma pena amados que pensem assim… Ir. Rogério Silva (84) 99120-9471

Deixe uma resposta