Procurador Carlos Fernando usa “história de amor” para justificar impunidade de Joesley e complica o jogo para Janot

Carlos Fernando, procurador da República, tem se complicado nos últimos meses após intensificar sua defesa o acordo de total impunidade da JBS, que é rejeitado por 81% da população.

Em entrevista à Folha, ele comentou sobre o acordo: “Eu faria o acordo? Faria, se eu estivesse na mesa [negociando]. O material é mais do que suficiente. O problema é o quanto você quer o acordo e em quanto tempo. É mais ou menos como o relacionamento amoroso. Você deseja muito uma pessoa e a pessoa percebe. Ela passa a exigir, dizer: eu quero só casamento”.

A metáfora do “desejo” é muito ruim e complica de vez a situação de Janot, pois isso o obrigará a explicar o “desejo maior” por essa delação do que para as outras. As figuras públicas não deveriam nortear os casos por “desejo”, mas por indicadores claros e que não fossem subjetivos.

O povo brasileiro apoia em peso as investigações sobre Michel Temer, e nem poderia ser diferente, mas não há explicações coerentes para justificar o acordo de impunidade. Ao contrário, se Joesley e Wesley tivessem sido presos, talvez estivessem até mais motivados para delatar, pois poderiam reduzir suas penas.

Para explicar o acordo de impunidade, Carlos Fernando deveria ter trazido um critério claro, mas o apelo ao “desejo amoroso” pode até servir para que a defesa de Temer utilize isso em seu favor, uma vez que isso demonstraria critérios diferenciados.

 

Anúncios

3 comentários sobre “Procurador Carlos Fernando usa “história de amor” para justificar impunidade de Joesley e complica o jogo para Janot

  1. Eu parei de ler o Antagonista porque eles defendiam muito esse acordo de impunidade, defendiam Janot, muitas vezes citando a própria Globo, a maior interessada em derrubar Temer. Eu gosto muito do site Imprensa viva, embora o autor do site em seus textos pareça jogar a narrativa de que Temer é uma vítima de uma conspiração Janoesley. Houve uma conspiração para derrubar Temer? Sim. Mas Temer não é uma vítima. Temer foi traído pelos seus aliados. Tanto os Friboys como o próprio PT. Janot e Joesley se uniram para derrubar Temer e pouparam Lula e Dilma do acordo de impunidade.

  2. Eu admiro o trabalho do procurador Carlos e do Deltan. Mas eles estão fazendo muito esse papel de comentaristas políticos em defesa de Janot. Não há como defender esse acordo absurdo. Janot está queimado por ser seletivo (só está valendo para os adversários do PT) e por fazer uso político de seu cargo.

Deixe uma resposta