Em surto psicótico, Cynara Menezes culpa empresas que sofreram calote da ditadura Venezuela por não venderem mais para o país

Uma matéria do Estadão comenta que a exportação brasileira para a Venezuela caiu ao nível mais baixo em pelo menos 18 anos: “Nos seis primeiros meses de 2017, as exportações brasileiras para o mercado venezuelano sofreram uma redução de 54% em comparação com o mesmo período de 2016. No ano passado, volume não passou de US$ 1,2 bilhão, enquanto nos primeiros seis meses de 2017 o valor foi de apenas US$ 241 milhões. Se no restante deste ano a tendência se mantiver, o total deve somar apenas 10% do que o Brasil exportou no auge da relação bilateral”.

Os importadores venezuelanos também deixaram de buscar produtos pois não possuem dólares para poder pagar as transações, além de sofrerem com falta de créditos nos bancos e um mercado doméstico em franca queda: “Se o atual ritmo de vendas continuar no segundo semestre, o Brasil deve acumular exportações equivalentes aos valores que existiam entre os dois países no início do século, quando cerca de US$ 600 milhões eram comercializados pelas empresas brasileiras no mercado venezuelano por ano”.

A Venezuela de fato cai pelas tabelas, com diz a matéria: “Em junho, a Venezuela era apenas o 56.º principal destino de vendas nacionais. Hoje, mercados como o da Eslovênia ou Paquistão compram mais produtos brasileiros que o venezuelano. Em 2012, a Venezuela chegou a ser o oitavo maior parceiro do País, superando Índia e Rússia. No Amazonas, o peso do mercado vizinho levou as empresas da região a registrarem uma queda de 6% nas vendas totais nos seis primeiros meses do ano. No ano passado, as vendas nacionais para Caracas já tinham registrado uma contração de 57%. Em 2015, a queda foi de 35%”.

Eis a razão, ainda da matéria: “Diplomatas consultados pelo Estado revelaram que um dos temas mais frequentes na relação bilateral tem sido o acúmulo de dívidas entre o Estado venezuelano e fornecedores brasileiros. Muitos optaram por suspender as vendas. Fontes no governo falam em uma dívida de mais de US$ 5 bilhões acumulados ao longo dos últimos três anos”.

Sem argumentos, Cynara Menezes fez um comentário patético, ignorando os calotes para fingir que todos estão “boicotando” a ditadura venezuelana:

Anúncios

2 comentários sobre “Em surto psicótico, Cynara Menezes culpa empresas que sofreram calote da ditadura Venezuela por não venderem mais para o país

  1. Ela é gerente de uma empresa, que vende produtos para a Venezuela, ela tem empregados que dependem do trabalho na empresa para pagar as contas, ela não vive no mundo da fantasia socialista em que as pessoas doam tudo de graça para outras até faltar comida para os seus filhos e achar que está tudo bem, ela deve ser uma mulher bem “racional” para dizer estas coisas “bem intencionadas”.

Deixe uma resposta