Preso por Moro cobra do STF mesma “celeridade” dada a Aécio e Loures

Eduardo Meira, preso há mais de um ano na cidade de Curitiba por ordens de Sérgio Moro, criticou a demora do STF através de uma carta. O motivo foi a demora do Supremo Tribunal Federal em julgar um pedido de liberdade feito pela sua defesa.

Na carta, ele pede celeridade ao ministro relator da Operação Lava Jato no STF, Edson Fachin, e também o cobra isonomia entre seu caso e os de Aécio Neves e Rodrigo Rocha Loures.

“Não entramos no mérito se as decisões são corretas ou não. O que pedimos é ter o direito à mesma Constituição que tiveram e o direito à prestação do ‘serviço jurisdicional’ em tempo e forma aplicados”, escreveu Meira.

 

Anúncios

Deixe uma resposta