Depois de ser humilhado perante o mundo por autores de “Despacito”, Maduro diz que proibição foi obra do “imperialismo”

Informa o Estadão:

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse nesta terça-feira ser “vítima de uma perseguição mundial” vinda de Miami com a proibição de uma versão da música Despacito com a qual promove a Assembleia Constituinte. 

Sim, é sério. Maduro disse o seguinte:

“Saíram de Miami para proibir o vídeo de Maduro. É um vídeo proibido no mundo, pela ditadura imperialista, não se pode ouvir. O estão eliminando; a perseguição mundial contra mim”, denunciou o presidente durante um ato em Caracas. 

Anúncios

4 comentários sobre “Depois de ser humilhado perante o mundo por autores de “Despacito”, Maduro diz que proibição foi obra do “imperialismo”

  1. ta vendo ai ta a prova todo esquerdopata tem o mesmo discurso de vitimismo , se apropriam de algo alheio e quando o dono nao deixa ele e a vitima …..lula , maduro , linderberg, hoffman, rosario ….tudo merda do mesmo cu tem q retirar a cidadania desse povo (obvio q o esquerdopata vai falar q maduro nao e brasileiro dhaaa) para impedir o retorno ao pais de origem e envia-lo de forma compulsória pra koreia do norte .

  2. Tradução:

    O ditador venezuelano, Nicolás Maduro, alega nesta terça-feira ser “vítima de uma perseguição mundial” vinda de Miami com a proibição de uma versão da música Despacito com a qual promove a ditadura.
    Sim, é sério. Maduro disse o seguinte:

    “Os democratas Saíram de Miami para proibir o vídeo de Maduro. É um vídeo proibido no mundo, pela democracia e pelos sensatos e pelo povo de bem, não se pode ouvir. O estão eliminando; a exposição e o desmascaramento contra mim”, denunciou o ditador durante um ato em Caracas.

Deixe uma resposta