Após enrolar 7 meses, Celso de Mello permite andamento da ação contra Renan Calheiros

O ministro Celso de Mello concluiu a revisão do seu voto no julgamento de Renan Calheiros no Supremo Tribunal Federal, STF, que ocorreu em dezembro do ano passado. A ação torna Calheiros réu numa ação penal por peculato, que é o crime de desvio de dinheiro público.

A denúncia foi aceita por 8 votos a 3 e a revisão da votação era o último requisito necessário para prosseguir com a ação penal. Agora a defesa deve apresentar provas de inocência e chamar suas testemunhas. A acusação é de que o senador teria destinado parte da verba de seu gabinete para uma locadora de veículos que não prestou serviço, segundo a Procuradoria Geral da República. No total, Calheiros pagou R$ 44,8 mil à Costa Dourada Veículos, de Maceió, entre janeiro e julho de 2005. E em agosto daquele ano, a empresa emprestou R$ 178,1 mil ao senador.

O relator do processo é Edson Fachin.

 

Anúncios

Deixe uma resposta