Com anos de atraso, Mercosul finalmente reconhece que Venezuela é uma ditadura

Temer afirmou nesta sexta (21) em Mendoza, na Argentina, que os países que integram o Mercosul reconhecem uma “ruptura” democrática na Venezuela (assista ao vídeo acima). O bloco sul-americano é composto por Brasil, Argentina, Venezuela, Paraguai e Uruguai.

Apenas o ditador da Venezuela, Nicolas Maduro, não participou da reunião de cúpula em Mendoza. A Venezuela está suspensa temporariamente do Mercosul desde dezembro por ter descumprido normas de adesão ao bloco. O Brasil assumiu neste encontro a presidência rotativa do bloco, que, até então, estava sob o comando do presidente argentino Mauricio Macri. O governo brasileiro comandará o Mercosul pelos próximos seis meses.

“Essa é a postura do Mercosul em seu conjunto. Nossos chanceleres reconheceram formalmente a ruptura da ordem democrática na Venezuela”, declarou Temer em meio ao discurso.

Em outro trecho da declaração, ele disse que os demais países do bloco acompanham com “grande preocupação” a crise política em território venezuelano: “Somos profundamente sensíveis à deterioração do quadro político-institucional, às carências sociais que, nesse país amigo, ganham contornos de crise humanitária”.

“Nossa mensagem é clara: conquistamos a democracia, em nossa região, com grande sacrifício, e não nos calaremos, não nos omitiremos frente a eventuais retrocessos”, complementou o presidente.

As informações são do G1.

Anúncios

Deixe uma resposta