Renata Barreto faz relato respeitoso sobre diarista e recebe ataque da extrema esquerda, mas não deixa barato

A economista Renata Barreto sofreu uma série de ataques de militantes da extrema-esquerda após relatar em sua conta no facebook sobre a escolha da diarista que trabalha em sua casa. Para rebater as acusações, escreveu sobre o caso e lamentou: “Eu sempre soube que vivemos num país de gente muito medíocre, mas é mais assustador vê-las de perto e saber que será muito difícil sairmos da lama”. 

Leia o relato na íntegra:

Abri uma porta do inferno das grandes ontem. Depois de fazer um relato sobre a diarista aqui de casa, uma página feminista compartilhou me chamando de sinhá, que isso só podia ser coisa de “branca rica”. Eu sempre soube que vivemos num país de gente muito medíocre, mas é mais assustador vê-las de perto e saber que será muito difícil sairmos da lama.

Conseguiram distorcer tudo que falei a respeito dela. Quando falei que ela trabalhava desde os 13 anos, disseram que era uma apologia ao trabalho infantil. Quando falei que ela trabalha numa jornada extensa por vontade própria, disseram que isso não é possível, como se eles a conhecessem o suficiente para saber o que ela pensa e como escolheu trabalhar. Quando falei que ela cria bem os filhos, tanto que eles se viram nos afazeres de casa, falaram que eu queria que eles também fossem criados para serem serviçais, quando na verdade eles recebem uma excelente educação bancada pela mãe que rala muito para que eles possam ter melhores oportunidades, nem por isso deixaram de aprender a cuidar da própria casa.

90% dos comentários negativos vieram de mulheres que se auto proclamam feministas e vivem sob o mote de que “mulher pode ser o que ela quiser”, desde que seja o que ELAS querem que você seja. Recebi comentários desprezíveis do tipo “vai você trabalhar limpando o chão pra ver se ia se sentir mesmo digna”, desmerecendo o trabalho de quem ganha a vida como faxineira. Muitas dessas pessoas disseram que é muito pouco ganhar o que ela ganha para trabalhar tanto, super preocupadas com a convivência dela com a família e os filhos, mas nem um pouco preocupados em quantos boletos ela paga.

Essas pessoas, que provavelmente ganham menos por mês do que a Rô, ficaram abismadas por ela fazer uma jornada de 12h por dia para cobrar mais e assim fazer mais dinheiro. Para eles, ela não tem discernimento para saber o que é bom, o que é justo e que trabalhar demais assim faz mal. Para eles, é impossível ser digno e feliz trabalhando dessa maneira. Pois vocês desconhecem a realidade da maioria dos brasileiros autônomos e empresários.

A Rô tira em média R$4.500 limpo por mês, trabalhando 72 horas na semana, por ESCOLHA DELA. Já recebeu propostas pra ser mensalista registrada, mas ela prefere ser autônoma e ganhar mais. Ela ganha mais do que 93% da população brasileira, mais do que 89% da população do Estado de São Paulo, com um salário maior do que boa parte de profissionais com graduação e até inglês fluente. A média de salário do brasileiro gira em torno de R$1890,00, trabalhando até 48 horas semanais.

Autônomos e empreendedores dificilmente trabalham menos de 12 horas por dia, justamente por terem escolhido a possibilidade de ganhos maiores e, portanto, com mais dedicação. Para essas pessoas abjetas que acham que fazer faxina é digno de pena, seria melhor ela estar registrada ganhando um salário mínimo ou pouco mais que isso, apenas para ter os “benefícios” da CLT. Ela ter a OPÇÃO de trabalhar mais para poder cobrar mais pelo seu serviço e sustentar seu filhos de uma forma melhor? Não, ela não pode. É uma eterna luta dos “justiceiros sociais” para proteger as pessoas delas mesmas.

Me parece que o fato que mais despertou a ira do grupelho barulhento é o fato de ser um trabalho que envolve tarefas domésticas. Recebi em um comentário: “só no Brasil é normal ter alguém para fazer sua faxina”. Para eles, é melhor deixar pessoas como a Rô sem emprego, porque afinal, trabalhar de forma digna limpando a casa de quem pode pagar é um ultraje. Mas e se a Rô resolvesse vender coxinhas e trabalhasse o mesmo número de horas? Aí pode? E se ela, como muitos que conheço, resolvesse ser motorista de Uber e trabalhasse com a mesma carga horária, pra tirar o mesmo salário que ela tira hoje como diarista? Aí pode?

É lamentável ver que a mentalidade de uma boa parte das mulheres jovens do Brasil é essa, que acha que é tão superior que deve escolher pelos outros aquilo que eles podem ou devem fazer. É triste perceber que não há saída para um país que despreza pessoas que trabalham e que se esforçam mais do que a média para garantir melhores salários. É absurdo ver que tanta gente compara o trabalho da Rô com escravidão e acha que ela está sendo explorada sem saber. Vocês acham mesmo que ela não tem capacidade para decidir como trabalhar e viver? Esse é o tamanho do preconceito de vocês.

Vocês que me chamam de sinhá, de exploradora e que devia ter vergonha de ter uma profissional dedicada como a Rô, que acham que nunca trabalhei na vida baseando-se só de olhar minha cara, saibam que trabalho desde os 15 anos, desde os 18 no mercado financeiro com cargas horárias elevadas e há 3 anos como autônoma na minha própria consultoria, atendendo clientes em absolutamente qualquer horário, não importa se estou de férias, se é sábado, domingo, feriado, madrugada. Isso se chama comprometimento e, por causa desse esforço, hoje ganho muito mais do que ganharia se fosse CLT em qualquer empresa, mas sem essa tal “estabilidade” que vocês acham que é o sonho de todo mundo.

Vocês não precisam ser como eu, como a Rô, como milhares de empreendedores e autônomos que trabalham muito mais do que 8 horas por dia, ganhando mais do que vocês e achando que o sacrifício vale a pena. Só não interfiram na nossa liberdade de escolha.

Liberdade é para poucos.

#opaíssemfuturo

Anúncios

42 comentários sobre “Renata Barreto faz relato respeitoso sobre diarista e recebe ataque da extrema esquerda, mas não deixa barato

  1. A maioria das feministas são mulheres frustradas e geralmente feias, a faxineira daqui de casa vem de carro e fatura por dia 450 reais será que tem alguma feminista que fatura isso em um dia?

  2. O Brasil esta de volta a lama em que a esquerda o mergulhou no período que antecedeu a Revolução de 1964. Quem viveu naquele momento sabe bem do que estou falando. Uma pena ver que a idiota se repete e que nada se aprendeu do ruim pelo que o Brasil passou.

  3. Tenho certeza, que quanto mais esses esquerdistas se expõem, mais eles perdem espaço. Tenho outra certeza, que a liberdade crescerá nos próximos anos.

  4. Estamos longe de ser um país de primeiro mundo, somos ainda ignorantes sobre muitas coisas, ainda não enxergamos um palmo a frente do nariz. Parabéns Renata, pessoas como você constroem um mundo melhor.

    1. Parabéns Renata, por responder à esses idiotas que se dizem “defensores sociais”. Eu já ouvi muita barbaridade também, em outro tipo de ocasião, mas não tive oportunidade, nem possibilidade de responder, tamanha foi a “opressão “. Parabéns pra você!

  5. A patrulha esquerdista / feminista é alérgica ao trabalho. Não entendem o que significa dignidade e responsabilidade. Preferem a pobreza e o ócio, em detrimento de sacrifício e empenho pessoal. Gente desprezível com alto índice de falta de inteligência emocional.

  6. Parabéns pela resposta! Esses mortadelas se acham. Vivem às custas dos impostos pagos com salários dos trabalhadores “que trabalham”.

  7. ta na hora de transformarmos as ideologias de comunismo/socialismos/petismos em crime assim os chamados justiceiros sociais terão que arrumar um emprego de verdade ao invés de tomarem conta da vida alheia , assim saberão oque e trabalhar 12h por dia

  8. Parabéns pelo post! É de pessoas como você e como a Rô que precisamos nesse país. Também trabalho de 10 a 12 horas por dia por escolha prolópria para ter o benefício da meritocracia, tão temida pela minoria que vive as custas fa tal estabilidade. Estou orgulhoso de vocês serem brasileiras e pensarem assim.

  9. Renata suas palavras são minhas palavras.
    Sou empreendedora, tento ser, é difícil demais.
    Não ganho o que a Ro ganha por mês não.
    Nem metade, vendo cortinas e persianas, se eu precisar faço faxina sem o menor pudor, tenho dois filhos pra criar, pagar faculdade.
    É preciso muita força de vontade para melhoramos cada dia.
    Quero que meus filhos estudem, se formam, querendo muito que meus filhos tenham uma vida melhor que a minha.

  10. Parabens eu tambem sou profissional que faço meu horario e ganho muuro mais que se tivesse os ” beneficios”, quero que algum filho da outa me venha com esse papo de esquerda pra ver com paus se faz uma canoa.

  11. Renata, talvez estas pessoa que deram palpites na sua reportagem, com respostas ignorantes, tenham a opniao de que viver com bolsa familia sem trabalhar, seja mais descente do que ser uma pessoa que trabalhe para dar o melhor aos filhos

  12. Sou diarista por opção, exatamente pelos motivos que você já citou acima, e também pela facilidade/independência de fazer seu próprio horário de trabalho, de tirar um dia de folga ou uma semana de férias quando bem quiser ou precisar, sem que venha a afetar meu desempenho na empresa, que não me concederia tais privilégios. O que destrói o brasileiro, é exatamente a aquisição de ideologias por modismo somado a um enorme comodismo em estudar o assunto, qualquer que seja, e perceber que existe mundo fora da sua “caixinha” além de existirem “caixas” diferentes, e a incapacidade de entender que radicalismo é estupidez.
    É em momentos como esse que me pergunto onde realmente está o preconceito, que realmente é “fascista”, e porque mesmo temem tanto uma ditadura quando já vivemos em uma?
    Onde e quando foi que perdemos a educação e o respeito pela opinião diferente, ou opção diferente, e o direito à liberdade de escolha e expressão?
    As coisas vão de mal a pior, e a tendência é piorar muito mais.

  13. Nosso país está de ponta cabeça mesmo. Conseguiram inverter todos os valores de decencia e responsabilidade. Vamos levar umas 4 gerações pra voltar onde estávamos. É lamentável e muito triste mesmo. Parabéns pela postura.

  14. Eu conheço apenas dois tipos de Mulheres…!!!!!! “Mulher” e Vagabunda……Graças ao bom Deus, minha convivência é cercada de Mulheres Maravilhosas, pois Vagabundas eu as afasto no dia a dia, e olha que elas jã não são encontradas somente nos prostíbulos…

  15. Parabéns!!! Realmente estamos rodeados de gente medíocre, que reclama de tudo e todos que estejam fora dos parâmetros que eles determinem serem ideais. Trabalhei mais de 30 anos, CLT, hoje ainda como autônoma. Tive pessoas que me auxiliaram nesse período, com minhas filhas e casa, e hoje tenho uma diarista, que sim rala, rala muito, como eu mesma sempre ralei. E ela tem minha mais profunda admiração e respeito!

  16. Uau!!! Confesso que estava sem paciência pra ler achando que seria “mais do mesmo”. Você deu voz a exatamente o que penso. Quer dizer que trabalhar em um supermercado ganhando um salário mínimo pode, acabar com o carro, receber multas e detonar com as costas dirigindo o dia inteiro como Uber é ok , mas ser remunerada por serviços domésticos não pode!!!! Há, mas se for serviços domésticos em um escritório ou empresa, aí pode!!! Masssss, ser babá e receber $5.000??? JAMAIS!!! Usura, pecado!!! É uma ingnorancia ao extremo!!! Ou seria manipulação?

  17. Parabéns pelo relato. Independente da opção “Esquerda” ou “Direita”, acredito que o Ser humano que enfrenta esta rotina sabe muito bem o que quer, é determinado, e sabe que muitas coisas hoje são alteradas e distorcidas para poder manipular e manter muitas pessoas achando que podemos “mamar na teta do governo” sem esforço. Trabalhar é ser digno, limpando o chão ou salvando vidas, não importa o que você faça.

  18. Parabéns pela sua postura Renata. A esquerda vagabunda prefere ficar engessada pelos direitos da CLT. Sou uma pequena empresária onde minha carga horária ultrapassa as 12 horas diárias. Trabalho é o combustível da alma e do bolso.

  19. Parabens! Excelente analise das mentes esquerdopatas que estao atrazando o Brasil. Aqui nos USA tem muitas diaristas que trabalham em limpeza de casas, aptos e escritorios, Cobram $20 a $30 dolares por hora. Faturam em media $ 7.200 por mes. Possuem carros, Ipads (para controlar as reservas).e levam o material de limpeza, Em dezembro ganham um bonus de Natal dado expontaneamente pelos clientes) Marializ uma mexicana que possui o green card. tem 2 filhos na Universidade, casa propria em New Jersey alem das remessas para a familia no Mexico. Um dos filhos esta’ organizando uma empresa de limpeza para facilitar os contatos atraves de um site.

  20. Eu só gostava de saber a opinião da Rô, sobre o primeiro post, que eu não li, sobre os comentários que deram mote para os esclarecimentos e sobre a resposta da Renata, pois nisso tudo o que importa é como cada um se sente em sua própria pele

  21. Renata , deixa prá esses comentários pequenos. Elas estão é com inveja pq vc tem uma ajudante desenrolada e isso era tudo que elas queriam kkkkkkkkk

  22. Tem uma dessas no meu facebook.
    O que ela faz o dia inteiro?
    Posta criticas sobre a vida alheia, sobre o modo que criam filhos, sobre a escola “elitista”, sobre as viagens que coxinhas fazem, sobre quem tem babá…
    Posta, posta, posta, posta…tudo, o dia inteiro postando.
    Não faz nada de útil, só fica sendo “feminista de facebook”….um desserviço….
    Aí vc me pergunta: porque vc nao exclui?
    Porque eu adoro ver ela passar vergonha com esses posts ridiculos ahahhahaah

  23. Moro nos EUA, e aqui independentemente da profissão todos trabalham mais de 8 horas por dia para fazer um bom dinheiro. E aqui não tem CLT, não tem direitos trabalhistas, não tem 30 dias de férias pagas, não tem 13º salário, não tem licença maternidade, não tem SUS e etc. Aqui a pessoa ganha por hora trabalhada, não trabalha não ganha. E aqui o sistema funciona muito bem assim, todos conseguem ter uma vida digna com o esforço do seu trabalho. Uma doméstica aqui nos EUA anda de Land Rover e tem piscina em casa, igual ao patrão.

  24. Lamentavelmente, existe um tipo de ser que entende que podem “defender” os mais fracos”, mas ao mesmo tempo ao invés d defender estão causando mais problemas.
    Haja vista por exemplo esse monte de gente que vive dos programas sociais, gente sem esclarecimento diferente da sua diarista que trabalham honestamente e dignamente.
    Infelizmente nosso país vive desses programas, como dizem por aí “o bolsa família tirou o povo da miséria” e porque não criaram soluções dignas e promoveram emprego e renda através do empreendedorismo.
    Sabem porquê porque NAO DA VOTO. Só por isso
    Já ouviram falar de curral eleitoral, dar dentadura por um voto ?
    Essa é a cultura do eleitor brasileiro

  25. Parabéns, não devemos nós deixar levar por pessoas medíocres e invejosos.
    Também sou autônomo e muitas vezes trabalho mais de 12horas por dia, buscando dá uma vida melhor para mim é meus filhos.

  26. Quem faz comentários como os dessas feminazis em geral não trabalha e fala muito com.o “salvador” alheio, mas pouco faz além de escrever no Facebook. Minha diarista é exatamente como a sua, mora numa casa com 5 quartos, infinitamente maior do que a minha, e não quer outra vida, pois recebe muito mais do que a minha empregada doméstica fixa. Aliás, minha empregada, “pobre coitada, explorada, blá blá blá”, viaja no mínimo 3x/ano e está planejando seu segundo cruzeiro internacional. Que essas idiotas continuem seu blá blá blá. Só queria saber se iam encher tanto o peito pra falar bobagem se não tivessem suas contas pagas pelos outros.

  27. Interessante que, nos EUA também existe faxineira!
    Ganham muito bem e, pelo que me consta, não existe nenhuma sinhá por lá.
    Por lá, na “land of the free”, valoriza-se o trabalho e o trabalhador, não importa qual atividade exerça.

  28. Parabéns pelo texto,Renata. Me solidarizo com você porque também trabalho até 12 horas por dia por opção. E também tenho uma diarista que prefere ser autônoma porque dessa forma seus ganhos superam o que ganharia como CLT além de ter liberdade para decidir seus horários.

  29. Parabéns pra resposta. Concordo que tem muitas profissionais formadas, com inglês fluente entre outras aptidões que não ganham o que a Sra mencionada recebe por mês e nem sao resoeitadas como a sra esdaxsendo. Basta abrir os anúncios da Catho entre outros sites de busca de emprego. Procure como secretária ou secretária executiva que vocês terão a prova dia nove. E não se assustem com a descrição de experifncia que a coitada precisará comprovar. Alguns anuncuos pede até OAB.

  30. Você está absolutamente correta no seu raciocínio! Trabalho como você e a Rô deve ser tão comorometida quanto nós!
    Ele fez a sua escolha!

Deixe uma resposta