Nêumanne passa feito trator sobre Emenda Lula: “cria inédito crime que compensa”

O jornalista José Neumanne Pinto comentou a proposta de Vicente Cândido para a Reforma Política, a “Emenda Lula”, que visa proibir a prisão de qualquer candidato à presidência até cinco meses antes das eleições. Em sua coluna no Estadão, Neumanne escreveu:

O excelentíssimo senhor deputado federal Vicente Cândido (PT-SP) acaba de inventar uma nova modalidade no Direito Penal de todos os tempos, desde o Código de Hamurábi, e em todos os lugares: um tipo de crime que compensa. Com seu estilo moderado de finório, o “nobre”  (argh!) parlamentar propõe a “emenda Lula” para livrar seu amado chefinho, Luiz Inácio Lula da Silva, das agruras do cumprimento das penas às quais acaba de ser condenado pelo juiz federal Sergio Moro, da 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba (PR).

E mais:

Essa reforma, conforme a coluna alertou, altera o artigo 236 do Código Eleitoral, que proíbe a prisão de candidatos a cargos eletivos 15 dias antes do pleito. É jocosa e justissimamente chamada de “emenda Lula”. Por um motivo simples: o pretenso candidato à sucessão presidencial foi condenado pelo juiz Sergio Moro a 9 anos e 6 meses de cadeia. Se o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4), de Porto Alegre (RS), mantiver a sentença, ele poderia beneficiar-se da nova regra eleitoral. Como, de resto, qualquer criminoso comum que conseguir uma legenda para se candidatar a qualquer posto por qualquer partido. E, se um poderoso traficante resolver comprar uma legenda para candidatar-se?

O jornalista está correto. A “Emenda Lula”, além de beneficiar diretamente o ex-presidente petista, poderá ser usada de inúmeras formas absurdas no futuro. É uma verdadeiro afronte à Justiça e ao povo.

Imagine que o desespero dos petistas em proteger Lula vai longe ao ponto em que estão dispostos a fazer qualquer coisa, realmente. Isso não é partido, é máfia.

Anúncios

Deixe uma resposta