“Transbordando”: Estatais estão financiando uma “performance artística” em que mulheres urinam nas calças

Uma “performance artística” em que as mulheres urinam nas calças em público. E financiada por meio do dinheiro dos pagadores de impostos brasileiros. Essa é a proposta de “Transbordação”, produção criada pela mestranda em Artes Visuais pela Unicamp, Dora Smék.

De acordo com a autora da “obra artística”, durante a performance “o ato de urinar deixa de ser simplesmente uma necessidade fisiológica e passa a ser uma experiência poética”. O ato é feito por mulheres que se candidataram voluntariamente para participar. O financiamento, entretanto, não teve nada de voluntário.

A “performance” foi realizada primeiramente no Sesc Bom Retiro – entidade do Sistema S, financiado por meio de imposto sobre a folha salarial de todas as empresas do país e que pode chegar a até 0,5% ao mês e, portanto, na prática estatal – no dia 15 de setembro de 2016.

Na última quarta-feira (12), o ato voltou a ser realizado, dessa vez na Galeria Vermelhodentro da programação da exposição “Verbo”, feita em parceria com a Associação Cultural Videobrasil, entidade que possui apoio do Sesc e patrocínio da Petrobras.

A informação é do Instituto Liberal de São Paulo.

Anúncios

17 comentários sobre ““Transbordando”: Estatais estão financiando uma “performance artística” em que mulheres urinam nas calças

    1. QUEM DISSE QUE FOI COM SEU DINHEIRO, DESINFORMADA….. VAI SE INFORMAR PRIMEIRO….. E O SEU DINHEIRO ESTÁ SENDO JÁ BEM USADO EM BRASÍLIA…. HAHAHAHAHA

  1. Em determinadas épocas da História da Humanidade nos deparamos com certas expressões vulgares que a sofismam chamando-as de artísticas, quando não passam exteriorização de patologias produzidas por aqueles que perderam completamente o sentido da vida e da beleza da verdadeira ARTE! É o que penso!

    1. DEMÊNCIA PETISTA,VALORIZANDO A DIMINUIÇÃO DA IMPORTÂNCIA DO SER PENSANTE E REMETENDO-O A UM ESTÁGIO MENTAL DA ERA ANTES DO DESCOBRIMENTO DA RODA.

  2. Temos que pensar no que se faz e vive em termos de “modernismo”…
    as “musicas” (sic), as “Obras” apresentadas nas Bienais, que hoje são chamadas de “performances”, o “humor” onde palavras de baixo calão substituem situações comicas … e temos que “achar graça(???), para fechar com uma coisa nojenta como estas, onde um bando de inqualificáveis se submetem ao VEXAME PÚBLICO de apresentar tal ação porca e imunda…

    E O PIÓR É QUE ESTA “COISA” É APRESENTADA ÀS NOSSAS CUSTAS!!!

    1. QUEM DISSE QUE FOI COM SEU DINHEIRO, DESINFORMADA….. VAI SE INFORMAR PRIMEIRO….. E O SEU DINHEIRO ESTÁ SENDO JÁ BEM USADO EM BRASÍLIA…. HAHAHAHAHA…. VAI SE INFORMAR PRIMEIRO!!!! SE CADA UM CUIDA-SE DA SUA VIDA TALVEZ AS COISAS SERIAM BEM DIFERENTES, O PROBLEMA É ESSE, VEXAME É VOCÊ SE METER AONDE NÃO TE COMPETE…… VAI EM BRASÍLIA ATRAS DO SEU DINHEIRO….HAHAHAHAHHA MAL INFORMADO.

  3. Sinceramente, que palhaçada, que besteira, que falta de ter o que fazer, não sei quem é pior, se que inventou essa “besteira artística de desequilíbrio mental” ou quem se sujeitou a fazer diante das câmeras.

  4. Depois da “performance poética” deveriam pegar o balde sublime e o pano de chão encantado e limpar a sujeira sublime da colega sedutora ao lado!! É pá cabá!!!!
    Mas teve coisa pior, lembram da também “performance” Macaquinhos, onde várias pessoas enfiavam o dedo no c* da pessoa(?) da frente!!! É pá cai o c* da cobra mesmo…

  5. Impressionante o que temos visto em termos de falta de criatividade e de baixíssima qualidade da arte e cultura no Brasil. Não faz muito tempo que um bando de idiotas se passando por artistas inventaram uma coisa com o título ‘explorando cu’, obviamente utilizando recursos públicos. Não bastasse tamanha indecência, me aparece essa outra abominável e execrada ideia, aliás, ideia de gerico. Esse é o resultado da chamada liberdade sem limites.

Deixe uma resposta