Leopoldo Lopez, agora em prisão domiliciar, manda mensagem de esperança: “Este é um passo em direção à liberdade”

Ainda se discute a razão para que o STJ aparelhado por Maduro concedesse o direito de prisão domiciliar a Leopoldo Lopez, preso político da ditadura.

Muito se fala em pressão externa, pois a comunidade internacional tem rejeitado a ditadura. Macri disse, em Hamburgo: “A Venezuela não respeita os direitos humanos e está em perigo a paz social que todos defendemos”.

“Maduro não costuma ceder, mas a pressão foi muito forte. Neste domingo completamos 100 dias de luta nas ruas e vamos continuar”, disse Manuel Avendaño, encarregado de relações internacionais do partido Vontade Popular (VP), partido fundado e comandado por López, que esteve na reunião na capital argentina e obteve um respaldo unânime de todos os participantes. As informações são do Globo.

Outras fontes falam em estratégia para reduzir os danos políticos e tentar se assegurar mais tempo no poder.

Enquanto isso, Leopoldo López acenou neste sábado aos seus apoiadores e beijou uma bandeira venezuelana ao aparecer por trás do muro de sua casa, em Caracas. Segundo o G1, o também opositor político Freddy Guevara leu aos simpatizantes um comunicado em que López afirma que seguirá na luta contra o governo de Nicolás Maduro e pede que a “resistência” nas ruas também continue.

“Este é um passo em direção à liberdade. Não carrego ressentimentos, nem vou desistir do que acredito. Minha posição contra este regime é firme, assim como minhas convicções pela luta por uma paz real, coexistência, mudança e liberdade”.

O pai de López disse que ele agora usa uma tornozeleira eletrônica e que a família toda está “muito feliz”: “Isto é uma mudança de rumo que significa muito para todo o país.”

Anúncios

Deixe uma resposta