Mídia evita falar em transfobia após assassinato de travesti. Por que será?

Uma travesti acusada de matar a facada Ágatha Lios, 23 aos, também travesti, confessou o crime. A criminosa também desdenhou do que fez fazendo chacota da vítima em suas redes sociais. O caso está sendo investigado pela Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racional, Religiosa ou por Orientação Sexual, ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin). Curiosamente, o caso está sendo reportado pela mídia mas não estão falando em “transfobia”, já que a assassina, nesse caso, também é travesti.

conversa

Anúncios

Deixe uma resposta