Senso de humor mórbido: Janot e procuradores do Mercosul “defendem” MP independente na ditadura venezuelana

Rodrigo Janot, o procurador-geral da República, e os procuradores-gerais da Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e Peru assinaram um comunicado reafirmando a “importância do respeito à autonomia e à independência do Ministério Público da Venezuela”.

O documento foi feito na sexta-feira (30), sendo resultado da XXI Reunião Especializada de Ministérios Públicos do Mercosul, que ocorreu em Buenos Aires no dia 16 de junho deste ano.

Na Venezuela, nesta semana, o Supremo Tribunal de Justiça proibiu que a procuradora-geral da República, Luisa Ortega Díaz, saia do país, congelou suas contas e ainda impediu a magistrada de vender suas propriedades, sendo ela uma das principais críticas do governo ditatorial de Maduro.

Quando a isso, os procuradores do Mercosul comunicaram “é imperioso que se respeite a autonomia e a independência do Ministério Público venezuelano no legítimo exercício de suas funções”.

Para eles, o Ministério Público da Venezuela: “está em risco por causa da interferência de outros poderes públicos, manifestada por meio de variadas pressões e atos intimidatórios que dificultam ou impedem a investigação e persecução penal dos delitos ocorridos naquele país”.

Ainda, os procuradores-gerais rechaçaram “qualquer ato de intimidação, perseguição e ameaça que possam colocar em risco a integridade pessoal da procuradora-geral da República, Luisa Ortega Díaz, e de seus familiares, assim como dos funcionários que integram o Ministério Público venezuelano”.

Resta a dúvida, os senhores procuradores-gerais do Mercosul apenas se importam com os seus? E quanto a população venezuelana que está sofrendo nas mãos do ditador Nicolás Maduro? Esses não precisam de defesa? Que vergonha.

Anúncios

Deixe uma resposta