Raquel Dodge foi a vencedora de acordo com a contagem de votos individuais

A tropa de Janot tentou empreender a narrativa de que Raquel Dodge teria sido votada em segundo lugar e por isso seria ilegítima. Há uma meia verdade aí: de fato a eleição para PGR permite que as pessoas votem em mais de um candidato.

Como se sabe, ela ficou apenas 32 votos atrás de Nicolao Dino, candidato comunista, irmão do PCdoB, e preferido de Janot.

Informação adicional, a partir da Veja, mostra outro detalhe interessante: “Entre os que optaram por apenas um candidato, Raquel foi a campeã, com 51 votos. Outro dado interessante revela que uma parte dos 1.108 votantes não foi influenciada pelo duelo de grupos políticos, mais precisamente 268 procuradores não ligaram para isso”.

Fim de uma narrativa.

Anúncios

Deixe uma resposta