Tribunal austríaco invalida eleição presidencial por irregularidades cometidas pela esquerda

Informa o G1:

O Tribunal Constitucional da Áustria anulou o resultado das eleições presidenciais após o recurso legal apresentado pela extrema-direita, que perdeu por uma pequena margem, por irregularidades na contagem de votos. A decisão sem precedentes abre as portas para novas eleições.

“O recurso apresentado pelo líder do Partido da Liberdade (FPO), Heinz-Christian Strache, contra as eleições de 22 de maio, foi aceito”, anunciou Gerhard Holzinger, presidente do Tribunal Constitucional austríaco.

O novo pleito provavelmente acontecerá até o fim do ano. O candidato ecologista Alexander Van der Bellen, que venceu a disputa para a presidência com 50,3% dos votos, deveria tomar posse em 8 de julho. Agora, a presidência da Câmara Baixa do Parlamento cumprirá as funções de forma interina.

O segundo turno das eleições presidenciais deve ser organizado novamente em toda a Áustria, afirmou Holzinger.

“Esta decisão pretende reforçar a confiança em nosso Estado de direito e na democracia”, completou o juiz.

Nota do Jornalivre:

Sempre se pensa que os conchavos da esquerda só ocorrem no terceiro mundo. O que se vê, no entanto, não é bem isso. No ano passado, por exemplo, Hillary Clinton foi envolvida no escândalo dos e-mails. Pouco tempo depois Barack Obama usou sua influência política no FBI para inocentá-la.

Agora, na Austria, em pleno primeiro mundo, uma irregularidade (leia-se: fraude) anulou o resultado das eleições. O que diferencia estes países do Brasil é que as instituições ainda funcionam, tanto é que o caso foi resolvido pelo próprio sistema.

Anúncios

Deixe uma resposta