Rocha Loures precisou furar fila para ter tornozeleira eletrônica

Se a bagunça é generalizada, então sempre é possível esculhambar mais um pouco.  Esse parece ter sido o lema da liberação do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que foi liberado no sábado.

Segundo Lilian Tahan, do portal Metrópoles, do Distrito Federal, a tornozeleira eletrônica estava em falta. Deram um jeitinho e arrumaram uma para Loures (que estava ansioso para ir para casa). O problema é que o dispositivo “deveria, na verdade, beneficiar um dos poucos mais de 100 presos sob a jurisdição de Goiás que só não estão em liberdade assistida porque aguardam na fila a disponibilidade da tornozeleira, atualmente em falta no estado”.

A matéria ainda diz: “A determinação para que se reservasse uma tornozeleira a Loures causou mal-estar entre os técnicos do sistema penitenciário de Goiás e revolta no meio dos presos, que logo souberam da notícia”.

A coordenadoria de Goiás “chegou a negar a possibilidade de ceder o equipamento para Rocha Loures, mas foi advertida por instâncias superiores que o objeto deveria ser cedido à PF”.

Gente coisa é outra fina.

Anúncios

Deixe uma resposta