Denúncia da PGR contra Aécio era mal formulada e por isso Marco Aurélio a revogou

por Roger Scar

Após as delações da JBS, o Procurador Geral da República Rodrigo Janot apresentou denúncia contra Aécio Neves ao STF. Na denúncia ele pedia a prisão do senador, mas usou como base argumentos muito fracos.

Muitos podem pensar que a denúncia foi baseada nas delações, mas não foi bem o caso. Janot apresentou como base uma foto em que Aécio Neves aparecia conversando com membros de seu partido, em sua residência não oficial, alegando que ele estaria utilizando o cargo e sua influência para se safar das investigações.

aecio_facebook

O problema é que esta foto foi postada pelo próprio Aécio em suas redes sociais, e nela não havia qualquer indício que sustentasse a acusação feita por Janot. Aliás, era uma foto muito comum, não serviria para provar qualquer coisa exceto o fato de que o senador conversa com colegas de legenda.

Hoje o ministro Marco Aurélio Melo, do STF, negou o pedido de Janot e estabeleceu que o senador poderia voltar a exercer seu mandato. Neste momento de turbilhão na política é natural que as pessoas se revoltem, mas a verdade é uma só: Janot está sedento para caçar os inimigos do PT, especialmente aqueles que foram figuras principais no processo de impeachment de Dilma, e para isso está disposto a qualquer coisa.

A decisão de Marco Aurélio humilhou Janot. Eis o grande ponto. Não foi por acaso. Ela simplesmente não possuía qualquer base jurídica. Ainda que pareça indigesto para o povo, neste caso a lei foi apenas seguida e o entendimento do Supremo não poderia mesmo ter sido diferente do que foi.

A denúncia fajuta de Janot facilitou a salvação de Aécio Neves. Agora ele poderá, é claro, enfrentar outras denúncias e talvez elas sejam mais sólidas, porque este simplesmente não era.

Anúncios

Deixe uma resposta