Homem morre após tentar denunciar agressões da mulher e ser chamado de ‘marica’ na delegacia

Um homem de 28 anos morreu na última sexta-feira (23), após ser apunhalado no peito e passar oito dias internado. A principal suspeita do crime é sua mulher, Claudia Moya, de 23 anos, que está presa. As informações são do jornal argentino, La Nación.

A mulher foi quem ligou para a emergência, contando que o marido consertava a fechadura de uma porta, quando se feriu acidentalmente com a facada no coração.

O caso ganhou repercussão depois que a família do argentino Alfredo Tucumán revelou que o homem já havia tentado denunciar a mulher por agressão em uma delegacia, mas ao invés disso, foi alvo de deboche dos policiais que o disseram para não ser “marica”.  Desacreditado, Alfredo foi embora sem prestar depoimento.

Amigos e familiares da vítima contaram que o casal tinha um histórico de casos de violência. A chefe da vítima o viu chegar para trabalhar com ferimentos visíveis e o incentivou a procurar as autoridades.

A mãe de Alfredo lembrou que em uma ocasião, Claudia teria dado uma cabeçada no filho que fraturou seu septo nasal. “Ela não está louca. É uma pessoa centrada, que planejou matá-lo”, acusou.

As informações são do jornal O Popular.

Anúncios

Deixe uma resposta