Desencarceramento antecipado por juízes levou ao assassinato do policial Rodrigo Wilsen; Saiba a história revoltante

O homem apontado pela polícia como autor do disparo que vitimou o escrivão da Polícia Civil Rodrigo Wilsen da Silveira, 39 anos, já poderia estar preso. No dia 6 de junho, Maicon de Mello Rosa, 25 anos, teve a prisão preventiva solicitada pela 1ª Delegacia de Polícia de Gravataí, envolvido em um roubo a residência ocorrido cinco dias antes no município. Até o momento, não houve resposta da Justiça ao pedido. Maiquinho, como é conhecido, não era um dos alvos da ação contra o tráfico de drogas do começo da manhã desta sexta-feira (23).

Agora, Rosa foi autuado em flagrante por homicídio, porte ilegal de arma e munição, além de tráfico de drogas. Foi preso com outras duas mulheres e três homens que estavam no apartamento onde o policial foi morto. A polícia apreendeu um revólver calibre 38, uma pistola 9mm, munições, drogas (crack e maconha), dinheiro e a chave de um Corolla roubado encontrado pouco depois em Gravataí.

Em 2013, aos 21 anos, foi detido por roubo. Sem ter sido julgado, em abril de 2014 — oito meses depois de preso — foi beneficiado com a liberdade provisória, que acabou revogada em novembro do mesmo ano, ao ser flagrado armado.

Maiquinho só foi condenado a cinco anos de prisão, em regime semiaberto, por roubo, em dezembro do ano passado. Antes disso, porém, ele já era monitorado por tornozeleira eletrônica desde junho de 2016. Entre junho e o final de janeiro deste ano, porém, ele foi considerado foragido seis vezes. Todas as vezes sob a alegação de que o equipamento eletrônico havia falhado. Ainda assim, em fevereiro de 2017 foi liberado do uso da tornozeleira.

De acordo com o delegado Rafael Sobreiro, da 2ª Delegacia de Polícia de Gravataí, Maiquinho não estava entre os investigados na quadrilha que foi alvo da operação desta sexta-feira. A polícia ainda investiga qual a relação dele com a traficante que era apontada como líder do bando investigado desde o começo do ano. Uma das linhas de investigação agora lideradas pela Delegacia de Homicídios de Gravataí é de que ele possa ser um matador do grupo.

As informações são do Click RBS.

Anúncios

Deixe uma resposta