Fernando Holiday inicia luta para dar fim aos “tribunais raciais” criados por Haddad em SP

Após polêmica nas redes sociais acerca de concurso da prefeitura de SP que verificou a cor da pele de cotistas aprovados, o vereador Fernando Holiday (DEM/MBL) protocolou nesta segunda-feira (26) um projeto de decreto legislativo para sustar partes do Decreto 57.557 de 2016, do prefeito Fernando Haddad (PT), que estabelece os “tribunais raciais” para que homens e mulheres sejam avaliados por uma ‘junta’ que apontará se são, ou não, negros.

O PDL 48/2017 proposto por Fernando Holiday, caso aprovado, sustará os incisos 1º a 6º do art. 5º; além dos artigos 15 a 20. Negro e da periferia, o vereador foi eleito defendendo o fim das cotas raciais em concursos públicos no município de São Paulo, o que considera uma “institucionalização do racismo” pelo Estado. Para Holiday, sustar partes desrespeitosas e segregacionistas do decreto é uma forma de despertar o cidadão paulistano para o debate sobre o racismo, tanto na sociedade quanto em nossas instituições.

Em postagem em sua página no Facebook, o vereador paulistano afirmou que a comissão: “poderia facilmente ter sido utilizada nos campos de concentração nazistas” e concluiu: “Não podemos permitir que técnicas nazistas de seleção sejam utilizadas ainda hoje para segregar indivíduos livres.”

Anúncios

Deixe uma resposta