Jacquin detona legislação fascista do Brasil: “Nunca mais assino uma carteira de trabalho” 

Numa entrevista dada à Veja, o chef francês Erick Jacquin comenta as dificuldades que enfrentou na carreira após a falência de seu restaurante em São Paulo e sobre sua reinvenção como jurado do programa MasterChef Brasil: “A falência foi o grande problema da minha vida, mas consegui virar a página: fechei meu restaurante e estou pagando tudo o que devo. Não tenho vergonha nenhuma. Hoje, sinto minha cabeça leve a esse respeito. Respondi a muitos processos trabalhistas, mas, graças a Deus, o sufoco já está acabando”, diz Jacquin.

O chef discute a legislação trabalhista do Brasil, que tem prejudicado os empreendedores.

“A legislação trabalhista no Brasil é a maior vergonha do mundo. Há muita gente querendo empregar, mas ninguém quer se arriscar. Nunca mais vou assinar uma carteira de trabalho”, afirma Jacquin.

A manutenção da atual legislação trabalhista, de orientação fascista, tem ajudado líderes sindicais ligados à extrema esquerda, pois prejudica os investigadores, afugenta empregos e ajuda aos que dependem da criação do desemprego.

Anúncios

17 comentários sobre “Jacquin detona legislação fascista do Brasil: “Nunca mais assino uma carteira de trabalho” 

  1. A justiça do trabalho se faz necessário sim no país! Assim mesmo a legislação não é cumprida! As buscas por reconhecimentos sempre se fizeram necessárias. O descumprimento e desvios da legislação sempre ativos pela classe de advogados e juízes do TER. ASSIM MESMO COM DIREITOS RECONHECIDOS.São muitas vezes incapazes de executar cobrança com eficiência.

    1. Justiça do Trabalho??? Que piada…país de primeiro mundo como os EUA não existe justiça do trabalho. Isso dai é mais um dos problemas graves que permanece sem solução neste país chamado Brasil….

  2. Jacquin está certíssimo. O MBL deveria comprar a briga pela profissionalização dos sindicatos e fim do peleguismo. Nosso imposto sindical sustenta os pelegos da Cut que nada fazem a não ser fazer arruaça e comer mortadela.

  3. Tive que fechar 2 estabelecimento comerciais e infelizmente cheguei a mesmíssima conclusão. Nunca mais quero assinar uma carteira de trabalho. Se um dia tiver que fazer isso, será contratando alguém de outro país.

    1. O que você disse não faz o menor sentido, contratar alguém de outro país não vai te isentar das obrigações trabalhistas do brasil.

  4. Parabéns é isso mesmo legislação trabalhista de veio facistas só serve aos sindicatos
    O trabalhador é sempre o maior prejudicado
    Qual lucro com isso?
    Advogados das “comunidades”

  5. Diante da exploração por parte do estado, da repressão burocrática e discriminatória que o empreendedor sofre neste país, desisti do pequeno negócio de minha família antes de ir à ruína. Hoje sou professor estadual, recebo pouco mas não me preocupo com toda esta parafernalha burocrática e com os riscos de manter um negócio, mesmo sendo micro como o meu. Também optei por não me associar ao sindicato do magistério. Ser dono do próprio negócio hoje tomou conotação pejorativa, pois o “patrão”, como “eles” se referem, é tratado como algoz.

  6. Tenho uma micro empresa a 12 anos, onde nunca admiti funcionário pois tudo que se ganha com o mesmo, em caso de demissão vai-se pelo ralo, onde o contratante tem que cumprir diversas obrigações e os funcionários fazem o que bem entendem dentro das empresas. E em caso de qualquer deslize com o funcionário a empresa é multada e em vez da multa ir para o funcionário, vai para o estado. Prefiro varar noites trabalhando do que admitir alguém. Sem contar com os sindicatos, com vagabundos que não fazem, sempre querendo mamar nas tetas de quem produz.

  7. Engraçado. Vemos tantas empresas investindo no Brasil acho que os comentários acima só pode ser de empresários que querem que os funcionários sejam escravos e humilhados, claro que existe casos que realmente a má fé de funcionários, existe também empregadores que exploram seus funcionários. Diante de tudo isso vemos empresas trabalhando normalmente, vejo que os casos acima são empresas pequenas que pensam somente em lucros e esquecem de consultar a legislação brasileira. Pq se consultasse não teria problema.

  8. Concordo literalmente com todos, CLT gera parasitas. Ninguém que trabalhe ganha com ela. Apenas, sindicatos, juízes e advogados trabalhistas, além de outros cargos dentro da grande, imensa, enorme justiça do trabalho.

  9. EU TIVE UMA EMPRESA POR 4 ANOS, EU NÃO FALI MAIS RESOLVI FECHAR POR NÃO VALER MAIS A PENA POR CAUSA DOS AUTOS CUSTOS FISCAIS E NA FINALIZAÇÃO DA EMPRESA EU SAI DE MÃOS ABANANDO E OS MEUS FUNCIONÁRIO SAIRÃO COM DINHEIRO NO BOLSO……..EU TBM NÃO ASSINO MAIS NENHUMA CARTEIRA ATÉ QUE AS COSAS MUDEM.

  10. Eu prefiro a terceirização, caso precise de alguma mão de obra, inclusive serviços de faxina. Pago um pouco mais caro, mas chamo quando preciso, sem vínculos, sem preocupações, com mais liberdade de dias e horários para eu decidir o que é melhor para mim e assim poder receber essas profissionais, podendo acompanhar e orientar melhor nas suas atividades, por esse motivo escolho aos sábados, sem contar que me garante certa privacidade, pois não gosto de ninguém fuçando as minhas coisas., na minha ausência.

Deixe uma resposta