Fake News: jornal muda versão após mentira sobre MBL e Mamãe falei ter caído por terra

Por Francine Galbier

O ativista político Arthur Moledo Do Val, do canal Mamãe Falei, foi detido injustamente nesta quarta-feira (21), em Porto Alegre – Rio Grande do Sul, após denúncias mentirosas de sindicalistas desesperados que tentaram o censurar durante um ato que realizavam na capital, no qual o ativista estava presente. Com medo de responder perguntas, uma servidora municipal apresentou representação contra Arthur por uso indevido de imagem, o detalhe é que o vídeo nem ao ar foi. 

A matéria assinada por Luís Eduardo Gomes, acusando Arthur e o Movimento Brasil Livre de agressão a um professor foi mentirosa a ponto de ser alterada no site Sul21.

Confira a matéria original:

19415714_450305662014157_333325620_n19398648_450305702014153_91435218_n19398878_450305705347486_2131019335_n19398762_450305712014152_1186022809_n19398715_450305718680818_563334687_n19415757_450305728680817_993511524_n19441186_450305738680816_2146845690_n19427771_450305745347482_1292168720_n

Confira agora a matéria alterada:

Homem é detido após agredir professor municipal em ato na Capital

Luís Eduardo Gomes

Um homem foi detido pela Guarda Municipal na manhã desta quarta-feira (21) após ser acusado de agredir um professor durante um ato realizado pelo Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) diante do Paço Municipal. Ele foi levado para a 17ª Delegacia de Polícia. De acordo com o sindicato, o homem, que não foi identificado, seria ligado ao Movimento Brasil Livre (MBL), que nega a informação.

Outro homem identificado como Arthur do Val, do canal de Youtube Mamãe Falei e ligado ao MBL, também foi conduzido para a delegacia porque uma servidora do município decidiu representar contra ele por uso indevido de imagem. Ambos filmavam o ato dos municipários contra as medidas de austeridade do governo Nelson Marchezan Jr. (PSDB) nesta manhã.

A Guarda Municipal confirmou à reportagem que os dois homens foram levados à 17ª DP por duas ocorrências diferentes. Um terceiro homem, identificado como o também youtuber Rafinha BK, também foi levado para a delegacia, mas não havia queixas contra ele. O professor que denuncia a agressão e a outra servidora também foram levados para a delegacia para prestar depoimento. Eles foram acompanhados por membros da direção do sindicato.

Diretor-geral do Simpa, Jonas Tarcísio Reis afirma que dois homens que já tinham sido identificados pelo sindicato como membros do MBL estavam filmando o ato do Simpa. “Hoje eles estavam aqui filmando um servidor da educação. Cheguei ali do lado e fiquei ouvindo ele. Estava fazendo perguntas, tranquilo. Parecia um cidadão comum, até então sem nenhuma atitude. Quando, de repente, a gente avista lá no canto da Prefeitura outro sujeito, o mais violento deles, atacando um professor com um cassetete. Tirou um cassetete desses que espicha do bolso e deu, mas deu ‘afu’ no professor. Nós chamamos a Guarda, que prendeu ele e levou num camburão para ser indiciado”, disse. “Enquanto isso, outro indivíduo do MBL, com a sua câmera, assediava uma servidora da Fasc. Assediou uma mulher e também foi capturado pela Guarda Municipal”.

Coordenadora do MBL no Rio Grande do Sul, Paula Cassol, negou que o homem acusado de agressão seja ligado ao movimento. Em conversa com a reportagem, Rafinha BK, que não foi detido, disse que eles foram censurados e que o homem apenas reagiu à tentativa do professor de tirar a câmera de sua mão. No entanto, confirmou que ele utilizou um cassetete para “revidar a agressão”.

O Simpa realiza nesta quarta-feira um dia de luta contra o parcelamento dos salários e o PL 04/2017, encaminhado para a Câmara de Vereadores, que prevê o aumento da contribuição dos servidores municipais ao Previmpa de 11% a 14% de seus salários. A categoria realiza uma assembleia geral na Casa do Gaúcho, no Parque Harmonia, ao 12h, e também faz novo ato de mobilização na Câmara de vereadores a partir das 14h.

Anúncios

7 comentários sobre “Fake News: jornal muda versão após mentira sobre MBL e Mamãe falei ter caído por terra

  1. Esse cara com o microfone poderia ter dito o que ele bem entender, menos que o Arthur não tem argumentos e estudo!! Coitado dele. Porque não chamou para o debate então?

  2. Deixe-me ver se entendi: Mídia Ninja filmar e editar vídeos de protestos, para construir narrativas em benefício próprio das esquerdas, pode. Mamãe Falei filmando protesto sindical, não pode. E eles ainda querem falar em democracia e liberdade?

  3. Pessoal, sou anti PT, mas essa matéria ficou confusa.
    Está sem esclarecimento, cheios de imagens que quem for de esquerda ou neutro, apenas irá ler que o pessoal do MBL foram presos e agrediram uma pessoa.
    Por favor, redijam essa matéria de forma clara e sucinta.

Deixe uma resposta