Denúncia fala em propina-monstro para Lula e Dilma: teriam levado R$ 480 milhões da JBS Friboi

Em depoimento prestado para a Procuradoria da República no Distrito Federal, na segunda-feira (12), pelo empresário Joesley Batista, dono do grupo JBS Friboi, e Ricardo Saud, diretor do grupo, foi detalhado como foram feitos pagamentos de propinas que haviam sido mencionados em acordo de delação premiada.

Joesley informou que uma bolada de US$ 150 milhões (R$ 490 milhões ao câmbio atual) estava em contas na Suíça em disposição dos ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma.

A quantia teria sido repassada em dinheiro vivo, notas fritas e doações oficiais registradas pelo TSE – Tribunal Superior Eleitoral. Os pagamentos eram realizados no Brasil.

A conta, que estava em nome de Joesley, tinha US$ 80 milhões (R$ 262 milhões) para Lula. Já a destinada a Dilma, tinha a quantia de US$ 70 milhões (R$ 229 milhões). Segundo Joesley, os recursos foram utilizados na campanha de 2014 quando Dilma se reelegeu presidente.

O TSE concluiu nesta sexta-feira (9) que houve uso de caixa 2 na campanha mas não cassou a chapa Dilma-Temer por entender que as provas sobre o crime não poderiam ser usadas.

Fonte: IstoÉ

 

 

 

 

Anúncios

3 comentários sobre “Denúncia fala em propina-monstro para Lula e Dilma: teriam levado R$ 480 milhões da JBS Friboi

  1. IstoÉ escrever um texto dizendo que tinham “notas fritas” é bem bacana. Como é que ela foram fritadas? Diretamente da JBS ou eram levadas ao exterior para serem fritadas com tecnologia inexistente em nosso país.
    Depois do discurso da Dilmanta querendo criar uma tecnologia para estocar vendo, “notas fritas” seriam bem vindas, para agradar ao paladar dos “mortadelas com notas fritas”.
    Já não se tem revisor de texto nestas revistas?

  2. Esse bandido Joesley é sócio da família Lula. Essa sim é a quadrilha mais perigosa do Brasil. A quadrilha do pmdb ( Temer é asseclas) é a segunda em assaltos ao erário. Nessa segunda tem um togado. Isso é óbvio para mim.

Deixe uma resposta