Vereador anti-capitalista enriquece 23% em 4 anos de mandato e justifica dizendo que compra ações no mercado finaceiro

O vereador de extrema-esquerda Afrânio Boppré, filiado ao PSOL de Florianópolis, aumentou seu patrimônio em mais de 23%, segundo reportagem do blog Farol, que investigou as declarações de candidatos à reeleição em 2016. Servidor público de carreira e político profissional, causa estranhamento o enriquecimento do PSOLista – cujo patrimônio atual ultrapassa 1 milhão de reais – uma vez que o mesmo não possui atividades empresariais ou geradoras de renda extra.

Em sua defesa, Afrânio diz que “procura investimentos rentáveis e seguros em aplicações financeiras, fundos de investimento e compra de ações de algumas empresas”. Interessante destacar o apreço do socialista pelo mercado financeiro, uma vez que sua atuação parlamentar é marcada por impropérios contra a classe empresarial e contra o desenvolvimento econômico da cidade. Em uma oportunidade, o vereador chegou a fazer uma intensa campanha contra a construção de um hotel na região central, que geraria empregos e renda para o município, alegando que a prefeitura queria vender a cidade para os ricos.

De acordo com a matéria do Farol Reportagem, outro fato chama atenção na evolução patrimonial do candidato: bens que totalizam R$ 35,5 mil informados à Justiça Eleitoral em 2006, desapareceram das declarações de 2012 e 2014, mas reapareceram nas eleições de 2016, com os mesmos valores de uma década atrás.

Anúncios

3 comentários sobre “Vereador anti-capitalista enriquece 23% em 4 anos de mandato e justifica dizendo que compra ações no mercado finaceiro

  1. Interessante, ele diz: “…a prefeitura queria vender a cidade para os ricos.”
    Com mais de um milhão na conta ele seria o quê?
    E porque ele não distribui esse grana com os proletariados?

  2. Que bobagem…jornal pretensioso. Patrimônio de 1 milhão muitos de Florianópolis tem, pois de uma certa forma os imóveis valorizaram por aqui. Outra coisa é dizer que ele é contra a classe empresarial só porque foi contra a uma construção de um hotel em área que é da comunidade. Jornalzinho.

Deixe uma resposta