Odebrecht atuou para dar uma forcinha para ditadores da Venezuela no Senado

A Odebrecht participou da negociação da aprovação pelo Senado da entrada da Venezuela no Mercosul. Emílio Odebrecht, Marcelo Odebrecht e outros executivos da cúpula da empresa acionaram políticos de diferentes partidos para convencê-los sobre a importância de a Venezuela ser aceita no bloco.

Um conjunto de e-mails mostra que Emílio recorreu a Fernando Henrique Cardoso, pedindo que ele atuasse junto a tucanos a favor da medida. Marcelo Odebrecht esteve com Aécio Neves para conseguir os votos de Minas Gerais, e Benedicto Júnior, com Sérgio Cabral, para assegurar os do Rio de Janeiro.

A ação começou a mando de Marcelo, que, em 11 de março de 2009, escreveu a um grupo de executivos: “Temos vários a quem podemos influenciar”. A Odebrecht chegou a fazer uma planilha — desta vez, sem apelidos — com os votos de cada senador. Em dezembro, a entrada da Venezuela foi aprovada por 35 votos a favor contra 27 contrários.

A informação é do jornal O Globo.

Anúncios

Deixe uma resposta