Haddad terá que depor após divulgação de crime em artigo para revista

Fernando Haddad (PT), será intimado para dar depoimento na Corregedoria-Geral do Ministério Público de São Paulo após afirmar que o promotor de Justiça Marcelo Milani teria pedido propina de R$ 1 milhão para não entrar com uma ação relativa à Arena Corinthians.

A afirmação foi feita por Haddad em artigo publicado pela revista Piauí.

Em maio de 2012, ainda na gestão Gilberto Kassab (PSD), Milani entrou com ação na Justiça contra a lei que permitia à Prefeitura de São Paulo ajudar na construção do estádio com a emissão de R$ 420 milhões em títulos. Empresas que comprassem os títulos poderiam usá-los para abater dívidas com a administração municipal.

A ação movida por Milani inviabilizou a venda dos títulos no mercado. Corinthians e Odebrecht então, segundo Haddad, pediram que a Prefeitura comprasse os títulos e injetasse os R$ 420 milhões na obra. Haddad se recusou por considerar que esses título seriam “invendáveis” em razão do imbróglio com o Ministério Público.

“Fui informado de que, para não ingressar com a ação judicial, o promotor teria pedido propina de 1 milhão de reais”, disse Haddad em artigo na Piauí. “Eu respondi que essa informação não mudava o teor da minha decisão, contra a recompra, e que não me restava alternativa como agente público senão levar o fato relatado ao conhecimento da Corregedoria-Geral do Ministério Público, para que fosse devidamente apurado”, afirmou.

Nesta terça-feira (6), Haddad afirmou que está à disposição da Corregedoria para reiterar as informações já passadas.

As informações são do G1 e do site Papo TV.

Anúncios

Deixe uma resposta