Polícia Federal diz que delegado morto em Florianópolis não trabalhava no caso de Teori

De acordo com o site Congresso em Foco, a informação de que o delegado Adriano Antonio Soares, assassinado em Florianópolis, era responsável pela investigação da morte de Teori Zavascki, não é totalmente verídica.

A PF publicou uma nota explicando a situação. Leia íntegra da nota divulgada:

“A Polícia Federal lamenta a morte de dois delegados, ocorrida na madrugada de hoje (31/05) em Florianópolis/SC. Os dois atuavam em Angra dos Reis e Niterói, respectivamente, e estavam na cidade participando de uma capacitação interna.

O falecimento dos policiais decorreu de uma troca de tiros em um estabelecimento na capital catarinense. Neste momento de imensa tristeza, a Polícia Federal expressa suas condolências e solidariedade aos familiares e amigos enlutados.

Sobre informações que relacionam um dos policiais mortos à investigação do acidente aéreo que vitimou o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, a PF esclarece que o inquérito que apura o caso encontra-se em Brasília/DF, presidido por outro delegado, e apenas foi registrado em Angra dos Reis, local do fato”.

Na realidade, Adriano teria apenas sido o primeiro a atender o caso, mas depois disso a investigação passou para outra delegacia fora de sua alçada.

O Jornalivre replicou esta informação, que foi divulgada em diversos sites de notícia como Rádio Gaúcha, G1 e outros. Foi um equívoco de nossa parte e aqui está a correção.

Anúncios

2 comentários sobre “Polícia Federal diz que delegado morto em Florianópolis não trabalhava no caso de Teori

  1. Depois da CAGADA ! E pôs fogo na situação ,…Desculpa !!!!
    Vocês que só transmitem notícias de outros Jornais , deveriam , antes de veicular, precisam checaria verassidade dos Fatos ….
    Espero que tenham aprendido a lição ….!!!

  2. A nota da PF não é tão esclarecedora assim. Ela não diz que o delegado morto não estava comandando a investigação do caso Teori. Apenas diz que o caso encontra-se em Brasília (não informa desde quando está em Brasília) e que o caso foi apenas registrado em Angra.

Deixe uma resposta