IMPORTANTE LEMBRAR: Gravação prova que petistas estavam mancomunados com Aécio e Renan pelo fim da Lava-Jato

Quase toda a imprensa focou nas acusações de Joesley Batista contra Michel Temer, mas há uma coisa que da qual não se tratou: a clara aliança entre os petistas, Aécio e Renan pelo fim da Operação Lava-Jato.

Na conversa entre o senador Aécio Neves e Joesley, ficou claro que havia, ali, não só a intenção de obstruir a Operação, mas também um plano para se fazer isso. Este plano passaria pela aprovação da lei de “abuso de autoridade”, proposta por Roberto Requião, aquela que Renan estava altamente interessado em fazer passar.

Em certo trecho do diálogo, Aécio diz o seguinte:

“Resolvido isso tem que entrar no abuso de autoridade… O que esse Congresso tem que fazer. Agora tá uma zona por quê? O Eunício não é o Renan.”

Neste trecho Aécio se referiu ao fato de que Eunício Oliveira, atual presidente do Senado, não estaria tão determinado quanto Renan a fazer passar a lei de Requião, também conhecida como Lei Salva Lula.

Já em outro trecho do diálogo, Aécio disse:

“Porque o negócio agora não dá para ser mais na surdina, tem que ser o seguinte: todo mundo assinar, o PSDB vai assinar, o PT vai assinar, o PMDB vai assinar, tá montada.”

Aqui fica claro o suficiente que Aécio se refere a uma aliança entre os partidos. O desespero foi tanto que ele estaria disposto a dar a cara para bater, inclusive ignorando a opinião pública. No Senado, sabe-se que justamente os petistas eram os mais interessados na lei de Requião, além do próprio Renan Calheiros.

Ademais, os R$ 300 milhões do PT na Suíça, mantidos pela JBS, ficaram totalmente em segundo plano. Seria esta uma estratégia para gerar instabilidade maior do que a já existente?

Anúncios

Um comentário sobre “IMPORTANTE LEMBRAR: Gravação prova que petistas estavam mancomunados com Aécio e Renan pelo fim da Lava-Jato

  1. A CONSPIRAÇÃO

    Mesmo sem nutrir maiores simpatia pelo presidente Michel Temer, não se pode deixar reconhecer que as medidas adotadas pelo seu Ministro da Fazenda, Henrique Meireles, para conter a inflação, a par das medidas já aprovadas e em andamento, como controle dos gastos públicos, reforma da previdência, reforma trabalhista, e algumas outras de semelhante relevância, acabaram por provocar um melhor desempenho da economia do pais, afetada por tanta e tamanha roubalheira do desgoverno passado, trazendo, como consequência a redução da inflação, dos juros e do desemprego, como resultados considerados alvissareiros de um futuro melhor para o pais, em linhas gerais.
    Dai se cogitar na possibilidade de uma trama ou conspiração articulada pela JBS, através seus proprietários, conhecidos como a dupla sertaneja,Jailson e Joelson, envolvidos no recente escândalo da venda de carne estragada, com a validade vencida e reutilizada, fazendo, até mesmo uso do papelão na fabricação de certos produtos prensados, a exemplo de mortadela, salame, contando,, inclusive, com uma com o financiamento a juros baixíssimos no BNDS, com a ajuda do seu padrinho e amigo Lula.
    Esses empresários que dominam o comércio de carne no Brasil, e praticamente no mundo, possuindo só nos Estados Unidos, mais de cinquenta frigoríficos, segundo se comenta, acabou conseguindo em pouco tempo, com a ajuda do BNDS, aumentar o capital desse império da industrialização da carne, conforme se comenta, de quatro bilhões para cento e setenta e quatro bilhões.
    Ora, alvo de tantos favores por parte do governo passado, e perdido num oceano de manobras ilegais no mercado da carne, o que resultou no seu grave comprometimento com a polícia federal, com o consequente indiciamento e prisão iminente, resolveram deveras apelar para delação, a fim de se livrar da cadeia, levando de roldão o presidente Michel Temer, através de uma péssima gravação clandestina falsamente comprometedora, como a melhor forma de retribuir ao padrinho politico, pelo enormes benefícios financeiros que lhe foram proporcionados pelo referido banco
    nacional de desenvolvimento, – que, aliás, ao invés de socorrer nossas empresas em seria dificuldades financeiras, e incentivar o surgimento de novas, pois esse é seu objetivo primacial para que fora criado, resolveu, por influencia puramente politica, ajudar aos países sul americanos e africanos a juros altamente subsidiados, em detrimento, portanto, como visto, do interesses maiores das inúmeras empresas nacionais sedentas dos mesmos recursos com que foram agraciados essas empresas estrangeiras.
    É uma triste sina essa do nosso pais, ser explorado ser dor nem piedade desde seu descobrimento pelos portugueses.

Deixe uma resposta