“Renúncia não é hipótese, é bom senso”, diz Caiado sobre Michel Temer

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), defendeu a renúncia imediata do presidente Michel Temer e fez uma crítica dizendo que “se as denúncias não tivessem nenhuma sustentação, o presidente convocaria imediatamente uma coletiva”.

“É lógico que as informações procedem. Porta-vozes reconhecem ele ter ouvido relatos como esses do delator da JBS”, disse o democrata. “O presidente da República nunca teve popularidade. Como ele pode continuar à frente de um Governo em que o PT está destruído, o PMDB também, o PSDB também. Não tem base de sustentação. A renúncia não é uma hipótese, é um bom senso”, completou.

O presidente Michel Temer foi gravado pelo dono da JBS Joesley Batista aprovando a compra de “mesada” para o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, já preso na Lava Jato, para silenciá-lo. A informação foi fornecida à Procuradoria-Geral da República pelos donos da frigorífica, Joesley e Wesley Batista, em delação premiada.

Sobre o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, o senador Ronaldo Caiado disse esperar seu “bom senso de renunciar”.

“Renunciar ao mandato pouparia desse desgaste dessa sessão. Seria muito mais óbvio, lógico, diante da gravidade dos fatos dessas denúncias. O gesto nesse momento seria da renúncia desse mandato e não de expor o Senado mais uma vez a uma sessão de cassação”, disse.

Caiado afirmou ainda que o Senado irá se pronunciar para convalidar o afastamento do senador tucano de seu mandato na Casa.

Questionado se seria candidato à presidência, Caiado disse que nunca negou a possibilidade, mas que não está “advogando em causa própria”.

Confira a entrevista completa:

A informação é da Jovem Pan.

Anúncios

Deixe uma resposta