Ministros do PPS avaliam abandonar Temer após escândalo

Os ministros da Cultura, Roberto Freire, e da Defesa, Raul Jungmann, ambos do PPS, partido que tem nove deputados e um senador, avaliam abandonar os cargos após escândalo envolvendo o presidente Michel Temer, que teria sido gravado dando aval para compra do silêncio de Eduardo Cunha. Com informações do Estadão.

 O ministro da Cultura irá se reunir com integrantes do partido antes de tomar qualquer decisão, mas avaliou a situação do governo Temer como “grave”.

“Agora é discutir os desdobramentos de tudo isso. Hoje vou conversar com todo mundo. Não sou igual ao PT para quem a denúncia só vale para os adversários. Tem que valer para todos”, afirmou Freire, que é presidente nacional do PPS.

Anúncios

Deixe uma resposta