Em São José dos Campos, MBL impede que Uber deixe a cidade

O núcleo local do Movimento Brasil Livre (MBL) em São José dos Campos conquistou uma grande vitória no município ao se posicionar contra a regulamentação imposta pelo prefeito Felício Ramuth (PSDB). A divergência teve início quando o movimento divulgou uma ação ilegal de fiscais que apreenderam o carro de um motorista Uber, alegando que a empresa ainda não havia se enquadrado na regulamentação abusiva. Veja:

O coordenador regional do movimento, Thomaz Henrique Barbosa também se manifestou duramente contra o prefeito, em publicação que viralizou no município. Ele lembrou que, durante o período eleitoral, apoiou o candidato tucano contra o então prefeito do PT. Assista:

Após essa ofensiva, a administração Felício hesitou por um período mas sucumbiu perante o apelo popular e a enorme pressão nas redes sociais, sobretudo em sua fanpage. O movimento promoveu uma abaixo-assinado eletrônico que atingiu quase 4 mil assinaturas em menos de dois dias. Nesta quarta-feira (18), Felício anunciou que voltaria atrás em alguns pontos da regulamentação.

Entre as mudanças acertadas, está a retirada da restrição do credenciamento de motoristas apenas para residentes da cidade, além de autorização para a utilização de um selo móvel nos carros do aplicativo. O curso de segurança exigido pela administração será oferecido pela Uber. Todas as alterações foram amplamente debatidas entre governo, empresa, motoristas e coordenadores do movimento, para que houvesse um consenso que tivesse como prioridade a manutenção dos empregos gerados.

Com as mudanças, segundo a administração, a empresa se comprometeu a operar dentro das regras do decreto e, portanto, o risco do aplicativo abandonar a cidade deixou de existir.

Thomaz Henrique Barbosa, que além de coordenador joseense assessora o vereador paulistano Fernando Holiday, aproveitou para se manifestar em seu perfil pessoal. Veja o que ele disse:

coment meu

Anúncios

Deixe uma resposta