Após pressão das ruas e redes sociais, Temer poderá vetar parte da nova lei de migração

Nas últimas semanas o Senado havia aprovado um projeto de Aloysio Nunes, que pretende flexibilizar a entrada de estrangeiros no país – apesar de já sermos um dos países mais flexíveis do mundo com isso. O texto ainda precisa passar pela sansão presidencial, mas segundo a Folha de São Paulo é possível que Temer vete alguns itens relevantes.

Após pressão pública, nas ruas e redes sociais, o presidente Michel Temer resolveu acatar as recomendações feitas pela Polícia Federal e pelo Ministério da Defesa, que recomendaram o veto a pelo menos seis itens do texto original.

“Esses órgãos entendem que as modificações na legislação podem gerar prejuízo à segurança nacional. Auxiliares de Temer afirmam que o projeto aprovado no Congresso em abril enfraquece a proteção das fronteiras e pode facilitar a entrada de armas e drogas no país, além de sobrecarregar a infraestrutura de Estados de fronteira que recebem imigrantes ilegais”, informa a Folha.

Ainda de acordo com a Folha, a decisão final sobre os vetos só deve ser tomada em reunião nesta terça-feira (16) entre representantes da Casa Civil, da Defesa, do GSI e do Itamaraty. O prazo para sanção da lei termina no dia 24, mas o ministro Aloysio Nunes (Relações Exteriores) pediu que a iniciativa fosse antecipada para esta semana.

Advertisements
Anúncios

2 comentários sobre “Após pressão das ruas e redes sociais, Temer poderá vetar parte da nova lei de migração

Deixe uma resposta