A serviço da extrema-esquerda, CONAR suspende campanha da Alezzia

Uma das melhores campanhas da Internet – e que irritou muito a extrema-esquerda – foi sustada de forma arbitrária e ditatorial pelo Conar.

As denúncias feitas pela extrema-esquerda foram feitas às centenas, apelando a um moralismo em estilo daquele visto no Oriente Médio e emitindo narrativas simulando “revolta” com “mulheres peladas na campanha”. Na verdade, era uma modelo de maiô.

No relatório em que defende a sustação da campanha, a relatora do Conar emite uma narrativa dizendo que faltaria ligação entre as imagens e os atributos do produto, e encena indignação: “Fiquei chocada com a total falta de tato da anunciante ao lidar com os consumidores e com o público em geral. A divulgação da marca e dos produtos me parece seguir uma estratégia de comunicação equivocada e desrespeitosa. É difícil entender qual o objetivo mercadológico de tamanha agressividade”.

A narrativa prossegue dizendo que “a objetivação da mulher é desrespeitosa e seu incentivo demonstra total falta de responsabilidade do anunciante, que desconsidera valores culturais importantes. Além disso, os anúncios são ofensivos e ferem a dignidade feminina”. Seu voto pela sustação foi aceito por unanimidade.

Não se sabe ainda se a empresa Alezzia processará o Conar e nem se a direita se mobilizará para requisitar um projeto de lei para impedir que a entidade consiga ter o poder de censurar propagandas de inimigos políticos.

Advertisements
Anúncios

6 comentários sobre “A serviço da extrema-esquerda, CONAR suspende campanha da Alezzia

  1. Engraçado: Nunca vi o Conar dar um PIO a respeito das propagandas de cerveja, que em sua maioria esmagadora usa “mulheres gostosas” em suas campanhar.
    Conar, uma pergunta: Qual a “ligação entre as imagens e os atributos do produto” entre “mulher gostosa seminua” e “cerveja”?

  2. Na qualidade de homem casado e pai de meninas, a propaganda não me ofende. Na qualidade de fotógrafo amador, considero a campanha de bom gosto, bem fotografada e não ataca a moral nem rebaixa a mulher. E finalmente, o mais importante : na qualidade de consumidor, não vejo qualquer impedimento para adquirir um móvel da empresa !
    Se a referida relatora se ofendeu, não compre. O CONAR é um ranço de autoritarismo, quem sabe já não é hora de extinguir o órgão para o bem da propaganda e da democracia ?

    1. O problema é que as mulheres esquerdopatas se acham inferiorizadas com tudo.
      É uma questão de recalque.
      Como a grande maioria delas é tribufú, vivem se sentindo as “coitadinhas” e se “ofendem” com tudo.

Deixe uma resposta