Presos políticos da ditadura castrista fundam Partido Libertário Cubano

Ontem (07) ficou marcado um precedente na história de Cuba, do continente e dos amantes e defensores da liberdade no mundo: foi fundado o Partido Libertário Cubano “José Martí”.A cerimônia foi realizada na sede da Biblioteca Libertaria “Benjamín Franklin” que compartilha com a nova organização política. Esta organização é uma extensão dos objetivos propostos do Clube anarcocapitalista de Cuba e Instituto Mises Cuba. A Biblioteca Libertaria “Benjamín Franklin” fundado em 24 de dezembro, será a fonte da filosofia.

A nova organização do partido irá  defender a liberdade, direitos humanos e civis dos indivíduos, promover e propor a redução do coletivismo prevalecente na sociedade e paternalismo excessivo do governo, afirmando e fortalecendo a soberania individual em todas as áreas da vida, minimizar o volume e possível interferência por parte do Estado e o estabelecimento da ordem espontânea da sociedade e da economia.

Além disso, o Partido Libertário procurará desnacionalizar a cultura cubana, o sistema de educação, solidariedade e questões éticas, e estabelecer um sistema jurídico que emana da livre vontade dos cidadãos para garantir eficazmente os fins acima referidos.“É curioso e interessante que a atividade foi realizada sem sombras, pelo menos perceptível agentes da Segurança do Estado”, disse um dos participantes, tanto vários membros foram presos (mesmo um foi queimado com um cigarro na prisão) e ameaçados.

Em fevereiro desse ano, o ativista de direitos humanos, Ubaldo Herrera Hernandez, responsável pelo projeto Biblioteca Libertaria “Benjamín Franklin”, foi preso pelo governo cubano. Apesar desse fato, os libertários cubanos não se intimidaram e criaram o partido.

A matéria é do Instituto Liberal de São Paulo.

Anúncios

Deixe uma resposta