Justiça proíbe secretário de Crivella de acumular salários

A Justiça Federal proibiu que o o secretário de Conservação e Meio Ambiente da prefeitura do Rio de Janeiro, Rubens Teixeira, continue a acumular salários.

Teixeira ganha R$ 15.187,00 pelo cargo de chefia na prefeitura, e outros R$ 24.142,65 como funcionário do Banco Central. No total, ele embolsa mensalmente R$ 39.329. Pela decisão da Juíza Maria Cristina Ribeiro Kanto, Teixeira terá que receber agora apenas o salário da prefeitura.

“…caso haja cessão de servidor federal para outra entidade, caberá a entidade cessionária o ônus relacionado a remuneração do servidor cedido”, justificou a magistrada.

Não é, aliás, a primeira controvérsia em que Teixeira se mete. Ele trabalhou na Transpetro durante a administração de Sérgio Machado.

De acordo com investigadores da Lava-Jato, a empresa foi utilizada para desviar recursos públicos neste período.

A informação é da coluna Radar On-Line, da Veja.

Anúncios

Deixe uma resposta