Folha inventa disputa presidencial entre Lula e Moro para deslegitimar provável condenação do petista pelo juiz

A matéria da Folha de São Paulo sobre a última pesquisa DataFolha colocou Lula e Moro no segundo turno, como se ambos estivessem a disputar a presidência da República. Entretanto, Moro jamais manifestou qualquer interesse em ser candidato, e nenhum grande partido está considerando colocá-lo na disputa. Sendo assim, por que a Folha criou um cenário no qual Moro e Lula disputariam a eleição?

A resposta é simples: Confundir os leitores com a vaga ideia de que Moro estaria perseguindo Lula por motivos políticos. Uma vez que as pessoas assimilem a ideia de Moro como possível candidato, elas também terão maior facilidade em assimilar a ideia de que o juiz, talvez, tenha interesse político em prender seu “concorrente”.

É uma tática sutil, mas perigosa. Trata-se de um esforço para tentar deslegitimar uma possível condenação de Lula no futuro próximo, dando ao público a interpretação errada de que o juiz estaria agindo com a típica má fé da política brasileira.

O que a Folha ganha fazendo isso? Eis a questão.

Anúncios

3 comentários sobre “Folha inventa disputa presidencial entre Lula e Moro para deslegitimar provável condenação do petista pelo juiz

  1. Essa Folha deveria ser extinta, só serve a sindicatos e ao PT, tenho nojo. Deve estar recebendo ajuda dessa quadrilha para continuar sobrevivendo. Esta fazendo tudo para que esse câncer chamado Luarapio não responda por seus crimes. Ele é pior que o Marcola.

  2. Precisamos nos acostumar a tomarmos atitudes sérias quanto àqueles que tentam manipular-nos com intenções de prejudicar ainda mais a vida dos brasileiros. Por exemplo: Esta colocação da Folha de São Paulo tentando intimidar Sérgio Moro. Temos que punir este jornal. Como? Simplesmente não comprando nem lendo seus veículos, seja impresso, seja na internet. São bandidos a serviço de interesses escusos aos brasileiros. Aos outros sites, pedimos que nem divulguem e nem comentem mais nada redigido por este jornaleco.

Deixe uma resposta