Paraná: Baixa adesão ao CarnaLula expõe sindicalistas londrinenses ao vexame

Apesar de amplamente divulgada, a suposta greve geral – na verdade, apenas um CarnaLula feito para aproveitar um feriado prolongado – marcada para o dia de hoje decepcionou profundamente os organizadores londrinenses. André Cunha, presidente do Sinpro (Sindicato dos Professores dos Colégios Particulares), que estava no começo da manhã em frente à Unifil, deu uma declaração envergonhada para o Portal O Bonde alegando que a adesão dos profissionais da educação foi de 50%. Entretanto, não foi isso que se viu nas ruas.

Apesar dos transtornos causados pela ausência de transporte público em Londrina, o que se viu foi o clima de normalidade de mais um dia de trabalho. Para Wilson Marvulle, diretor do tradicional Colégio Universitário, a greve não afetou em nada o funcionamento da escola e ainda destacou que 90% da equipe compareceu ao trabalho, prejudicando apenas aqueles trabalhadores que dependiam do transporte coletivo.

Já Patricia Germanovix do Carmo, mãe de uma das alunas do colégio, afirma que a greve não afetou em nada a rotina. Ela e sua família continuarão com sua rotina normal, apesar das maldades arquitetadas pela extrema-esquerda grevista. As informações são do Portal O Bonde.

Anúncios

Um comentário sobre “Paraná: Baixa adesão ao CarnaLula expõe sindicalistas londrinenses ao vexame

Deixe uma resposta