CORAGEM: Prefeito pode ser o primeiro do país a trucidar o passe livre. Esquerda não sabe como lidar…

Todos se lembram do terrorismo protagonizado pela extrema-esquerda em junho de 2013. Na época, a pretexto de lutar por supostas melhorias, criminosos se vestiram de preto e destruíram inúmeras cidades pelo país causando prejuízo incalculável. Nesse contexto que em Londrina, no Paraná, o então prefeito Alexandre Kireeff (PSD) em conluio com o ex-vereador Gustavo Richa (PSDB), sobrinho do Governador Beto Richa decidiram surfar na onda e aprovar projeto Passe Livre na cidade.

O projeto populista não logrou êxito. Passados quase quatro anos do acontecimento o cenário não foi muito animador. O atual prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP), abriu a caixa de pandora e revelou que as contas públicas do município tem um déficit previsto para o ano de 2017, no total de R$120.746.904,02. A previsão de gastos esse ano com o Passe Livre é de R$ 33 milhões. Segundo previsões o prefeito enviará à Câmara Municipal de Londrina ainda este mês, diversos projetos de Lei que cortam na carne os gastos estatais. Entre eles está o que extirpará de vez com o Passe Livre. A previsão é de que a economia para os cofres públicos seja de R$ 39 milhões.

Com isso, Marcelo Belinati poderá ser um dos primeiros prefeitos do Brasil a tomar a corajosa atitude. Mas terá que ter determinação para enfrentar a resistência dos militantes travestidos de estudantes, do próprio comitê do passe livre londrinense, além da antiga gestão socialista-fabiana, responsável por implantar o Passe Livre.

Anúncios

Deixe uma resposta