Em crise diplomática, ditadura venezuelana anuncia trâmites para deixar OEA

A repressão cada vez maior contra manifestantes opositores na Venezuela vem ampliando o número de vítimas fatais — nesta quarta-feira morreu um jovem de 20 anos num protesto em Caracas — e aumentando o isolamento diplomático do governo de Nicolás Maduro, que anunciou o início do processo de retirada da Organização dos Estados Americanos (OEA) em retaliação à entidade.

Depois de quase um ano de deliberações e quatro sessões no último mês sobre o caso venezuelano, 19 países, incluindo o Brasil, aprovaram elevar o debate ao nível de ministros de Relações Exteriores. A decisão foi rechaçada pela chanceler Delcy Rodríguez, que já tinha ameaçado reagir tirando a Venezuela da OEA.— Amanhã apresentaremos a carta de renúncia à OEA e iniciaremos um processo que leva 24 meses — anunciou Delcy, acusando “governos de direita” de interferência em assuntos internos de seu país.

A informação é do blog do Noblat.

Anúncios

Deixe uma resposta