Doria ataca sindicalismo mas mantém secretário ligado à sindicatos

Em discurso em apoio às reformas previdenciária e trabalhista propostas pelo presidente Michel Temer (PMDB), o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou uma “minoria ruidosa” que tem protestado contra os projetos. “Não é possível imaginar que a minoria ruidosa vá se sobrepor à maioria silenciosa. Tem que fazer ouvir a palavra de quem quer a mudança”, afirmou nesta segunda-feira (24).

“Transformar o Brasil é apoiar, sim, as reformas. Ter coragem de apoiar as reformas e fazê-las”. O prefeito, porém, salientou que são necessários ajustes e debates sobre o tema. “Não é hora de recuar, é hora de avançar”, disse Doria no evento “Mitos e Fatos”, promovido pela rádio Jovem Pan.

O prefeito fez fortes críticas aos oposicionistas das reformas. Entre eles, estão movimentos sociais e centrais sindicais, que estão organizando uma “greve geral” para esta sexta-feira (28). “Não é possível imaginar um Brasil sindicalista, um Brasil protecionista. Acabou esse tempo”, disse João Doria.

Segundo o tucano, “vozes populistas, mentirosas” estão prometendo “o que não podem e o que não farão”. De acordo com Doria, a “minoria ruidosa quer e defende o passado”.

A matéria é do portal UOL.

Anúncios

Deixe uma resposta