Após terrorismo na zona rural, policiais impediram invasão do MST em Garuva – SC

Na tarde de sábado, uma ação policial terminou com uma pessoa ferida no acampamento Egídio Brunetto, em Garuva, no Norte de Santa Catarina. Desde o dia 10 de abril, militantes do MST invadem um terreno às margens da rodovia SC-417.

A Polícia Militar foi ao local quando um grupo tentava invadir o terreno que fica do outro lado da rodovia, que é do mesmo proprietário. Para impedir que o grupo invadisse a área, policiais dispararam balas de borracha e atingiram um homem.

A Polícia Militar acusa o grupo de ter invadido uma residência e diz ter agido depois de ter solicitado que o grupo deixasse o local. De acordo com o sargento Ivonei Polsin, alguns homens mantiveram uma família em cárcere privado durante mais de uma hora. Todos portavam foices e facões, segundo o sargento.

– Os invasores tentaram instigar os demais invasores e partiram para a direção da Polícia Militar, que fez uso de munição não letal, com intuito de restabelecer a ordem, afugentando os masculinos que largaram objetos utilizados para ameaçar e intimidar as vítimas e os policiais – afirmou o sargento Polsin.

O MST nega as acusações. Em nota, o movimento alegou que “a acusação de que o MST colocou a vida de uma família em risco é inverídica e somente visa gerar o medo.” O movimento negou que tenha mantido uma família em cárcere privado e afirmou que os sem terra passaram longe da casa onde estava a família. Segundo o MST, os policiais fizeram “inúmeros disparos com balas de borracha e um dos acampados foi atingido por sete tiros.”

As informações são do portal A Notícia.
Anúncios

5 comentários sobre “Após terrorismo na zona rural, policiais impediram invasão do MST em Garuva – SC

  1. O mst é como o lula, mente como forma para ter o vitimismo, eu acredito na Policia Militar, que é profissional aqui no Estado de Santa Catarina.

  2. O vagabundo só levou sete tiros ? porra deveria ter levado setenta tiros, pra ver se ele arrumar um trabalho…..pena que as balas são de borracha, deveria ser de aço.

  3. Esse povo tem muito é que trabalhar, invadir propriedade alheia, não é legal, o dono do terreno deve ter lutado demais para conseguir um lugar para descanso em finais de semana, e vem uma cambada de aventureiros querendo se apossar do terreno alheio, o que é isso gente, eu não aprovo isso, tentam arranjar outro meio de vida, tem tantos, mais só querem as coisas fáceis, e alheia, estão de brincadeira.

Deixe uma resposta