Léo Pinheiro contra-ataca e apresenta documentos para provar acusações contra Lula

Imediatamente após as delações de Léo Pinheiro, os petistas saíram em peso para dizer que o empreiteiro estava mentindo. Pinheiro havia contado que Lula era o dono do triplex, que requisitou a reforma e que ainda solicitou a destruição de provas. Se as acusações eram fortes, chamá-lo de mentiroso também seria considerado um ato hostil por parte do empreiteiro.

Agora sabemos, via blog do Noblat, que Léo Pinheiro vai utilizar um conjunto de documentos para mostrar que falou a verdade.

Com cartas na manga, o empresário possui informações que incluem agenda de encontros pessoais entre os dois no primeiro ano de investigação da Lava-Jato, além de centenas de telefonemas e contatos relacionados às tratativas em torno do tríplex do Guarujá, o qual, segundo o empresário, estava reservado à família Lula desde que a OAS assumiu as obras do Edifício Solaris, em 2009.

As informações incluem também viagens feitas pelo empreiteiro ao Guarujá para encontros com Lula e dona Marisa, que devem ser corroboradas com os roteiros de viagens ao litoral paulista feitos por veículos registrados em nome do Instituto Lula. Os contatos por e-mail feitos para reformas no apartamento – personalizado para o casal – e a compra de móveis e eletrodomésticos, o que já havia sido relevado anteriormente pelos investigadores.

Anúncios

18 comentários sobre “Léo Pinheiro contra-ataca e apresenta documentos para provar acusações contra Lula

  1. Todo mundo sabe e ninguém tem dúvidas de toda essa patifaria, só os lulistas é que são cegos e todo cego é aquele que num quer ver. Ele se prepare pra o pior em Curitiba e ele na hr H leva Dilma junto com ele.

  2. O Crime não foi ter triplex
    O crime foi negar ser dono do triplex
    Porque o triplex foi comprado por terceiros com dinheiro sujo roubado do povo brasileiro 😡😡😡😡😡😡😡😡😡😡

  3. Quero manifestar as minhas indignação, concordo com os comentários anteriores, só o Lulismo que não que acredita , ou se faz de sego ,na minha avaliação nunca eu vir ou ouvir falar em algo relacionado a estes corruptos que quebraram o Brasil,
    Mesmo assim ainda se falar que foi que mais levou comida para mesa dos brasileiros, isso é uma farsa,
    Lembrando a eles para fazer o DNA dá existência do projeto de combate a eradicacao dá pobreza, dai foi criado bouça escola ,vale alimentação, vale gás.
    Simplesmente eles mudaram o nome para um único programa que é o bouça família,
    E tem a maior cara de pau em dizer que foi quem mais fez para o social,
    A para de enganar o povo assume o que fizeram com os Brasileiros,
    Não tenho procuração para defender qualquer sigla partidária,
    que seja mas cinto na obrigação de expressar o meu descontentamento.

  4. Acho um absurdo fazerem isso com o homem mais honesto do Brasil…Lula não pode ser alvo dessas calúnias.Mentir em juizo é crime.Lula deveria processar esses “empresários” que só querem “aparecer”…Lula nem gosta de sítio…nem de “estado de sítio”…Ele gosta mesmo é da velha e boa “branquinha”…

  5. Só mesmo os extremamente inocentes que não acreditam que o LULA (querido e amigo dos pobres) é o comandante supremo dessa turma de ladrão. Tem que ser muito inocente mesmo. Acredito que para o bem de todos e felicidade geral do Brasil e do Mundo o LULALAU em no máximo 02(dois) meses estará preso.

  6. SOMOS O PAÍS MAIS RICO DO MUNDO, DE TUDO TEMOS MUITO, INCLUSIVE “O JEITINHO BRASILEIRO”

    Temos muita terra fértil para a produção agropecuária, água em abundância, povo generoso e trabalhador, localização geográfica excelente livre de terremotos, tufões, grandes tempestades, furacões, uma variedade de clima que beneficia muito a produção agrícola e animal, uma variedade de frutas e vegetais nativos impressionante, atrativos turísticos incomparáveis, enfim, somos um País gigante em tudo, de tudo temos muito, do bom e do melhor, tudo para sermos a maior economia do mundo. Mas, paralelo a essas coisas boas que acabamos de citar, temos uma grande quantidade de coisas ruins, coisas nojentas, imundas, de tão podres que nos colocam no topo da lista dos países mais corruptos do mundo. A sensação que temos é que os coisas ruins suplantam as coisas boas nos impedindo de sermos um País descente e equilibrado economicamente e socialmente. Eis a relação das coisas ruins, nojentas, imundas e podres que estão acabando como o nosso Brasil: Um Poder Público falido; um Legislativo que não merece confiança onde uma boa parte dos políticos estão envolvidos em grandes escândalos de corrupção; um Judiciário lento, que não acompanha as demandas da criminalidade e da corrupção, em parte aparelhado para servir a interesses pessoais; um Executivo incompetente, aparelhado de acordo com as barganhas da politicagem imunda em que governos municipais, estaduais e federal estão metidos até o pescoço; nenhuma instituição pública funciona como deveria nesse País, não há um único serviço público que funcione dignamente no Brasil; quando não é a corrupção que mina as riquezas do País é a ingerência e a incapacidade dos gestores e ordenadores de despesas direcionarem os recursos financeiros para onde de fato deveriam ir, é muita má fé e incompetência por parte de um bom número daqueles que ocupam cargos públicos no Brasil, principalmente aqueles de confiança e comissionados em que o principal critério é o apadrinhamento e o jogo de interesses e jamais a competência ou o crivo técnico que o cargo ou a função exige, e nesse joguinho sem vergonha o Brasil vai de mal a pior.
    Somos o País mais rico do mundo! Assustou-se? Pois é a mais pura verdade. Qual o país do mundo que suportaria sofrer tanta sangria, tanta roubalheira, tantos desvios de bilhões e bilhões de dólares e permaneceria em pé como o Brasil. Se muitos países do 1º mundo, ou seja, os países considerados ricos sofressem a roubalheira que nós sofremos por parte do poder público e seus agentes, há muito tempo esses países não existiriam mais. Para entendermos melhor o tema é interessante remetermos ao início da história do Brasil, ano 1500 quando o português Pedro Alvares Cabral e a sua esquadra invadem o Brasil e enganam os nossos antepassados, os verdadeiros donos e habitantes do Brasil, os índios. Mesmo assim coloca-se nos livros de história que Cabral descobriu o Brasil, uma grande mentira, Cabral invadiu o Brasil, essa é a verdade que deveria constar nos livros de história do Brasil. A partir daí Cabral e a sua quadrilha começam literalmente a surrupiar e roubar o nosso País enganando os índios com quinquilharias em troca do ouro e do Pau-Brasil, é o início do safado “jeitinho brasileiro” que alguns brasileiros ainda hoje fazem questão de destacar; essa frase “jeitinho brasileiro” nada mais é do que uma forma vil de camuflar a corrupção e a safadeza tão latente na cultura brasileira. Quando os nossos antepassados começam a entender a real intenção dos invasores portugueses e não querem mais ceder aos seus enganos começam a serem perseguidos e mortos. A partir daí segue-se a história de um país que teve seu início com a mentira e a corrupção e que ao longo dos anos só foi se agravando, de 1500 a 1530 (ciclo do pau-Brasil) tem início a extração do pau-Brasil pelos invasores portugueses usando a mão-de-obra indígena, a coisa foi tão fácil que despertou o interesse de outros invasores europeus como os franceses, ingleses e holandeses, que vez ou outra estavam atacando o litoral brasileiro para também roubar as riquezas do nosso País. Em 1530 tem início uma outra faze de corrupção e desonestidade no Brasil, é o início do ciclo do açúcar com a chegada da expedição de Martim Afonso de Souza que inicia a colonização do Brasil e o cultivo da cana-de-açúcar, escravizando os verdadeiros donos do Brasil, os índios. A Região Nordeste é a escolhida para o cultivo da cana-de-açúcar. Em 1534 o rei de Portugal cria aqui no Brasil as Capitanias Hereditárias para dividir o território brasileiro, facilitando a administração, mas, as disputas por poder entre os mandatários das capitanias e a latente corrupção levaram o sistema ao fracasso total e à sua extinção em 1759. Dentro do sistema de corrupção que imperava nas Capitanias Hereditárias foi criado pelo Rei de Portugal em 1549 o Governo-Geral que tinha a função de representar os interesses da Coroa portuguesa com relação a administração do Brasil Colônia, era mais um “jeitinho brasileiro”. Com o crescimento da cultura canavieira e consequente expansão dos engenhos de açúcar o poder Público da época comandado pela Coroa portuguesa juntamente com os seus asseclas, os ricos abastados lançam mão de mais um “jeitinho brasileiro”, o tráfico negreiro, onde seres humanos são arrancados da África para virem servir aos corruptos no Brasil em uma condição sub-humana, e, se observarmos direito vamos ver que nos rincões desse Brasil afora parece que essa condição de escravidão ainda perdura no país atualmente. Em meados do século XVIII tem início o Ciclo do Ouro, mais uma oportunidade de roubalheira e corrupção por parte dos poderosos da época. Começam a serem descobertas as primeiras minas de ouro na região de Minas Gerais. Assim como já vinha acontecendo nos engenhos de açúcar, a mão-de-obra nas minas também é toda feita pelos escravos africanos. Nesse período de muito ouro e açúcar a Coroa Portuguesa cria uma série de impostos e taxas para lucrar com a exploração, pilantragem pura que o poder Público no Brasil atual segue à risca, pois somos o País mais taxado do mundo, onde a carga tributária é a mais pesada, só não sabemos para onde vai tanto dinheiro arrecadado com impostos, ou sabemos? Claro que sabemos: Para construir obras faraônicas e elefantes brancos como os estádios da Copa de 2014 e as instalações da Olimpíada de 2016, sem falar das grandes obras inacabadas por esse Brasil afora, tudo isso com o pretexto de roubarem bilhões e bilhões de reais do sofrido povo brasileiro. Em 7 de setembro de 1822 tem início o Brasil Império com a proclamação da Independência por D. Pedro I (1º reinado – 1822/1831). A corrupção e o jogo de interesses entre poderosos é latente, escândalos na corte e, após muitos protestos populares e oposição de vários setores da sociedade, D. Pedro I abdica ao trono em favor de seu filho D. Pedro II, que, ainda muito jovem não assume de imediato. Inicia-se então o Período Regencial (1831/1840) que é formado por grupos interesseiros que pensam somente em roubar as riquezas do País em detrimento da maioria da população, exatamente como ocorre atualmente no nosso querido Brasil. De 1831 a 1840 o Brasil foi governado por quatro regentes: Regência Trina Provisória, Regência Trina Permanente, Regência Una de Feijó, Regência Una de Araújo Lima. Foi um período marcado por várias revoltas sociais. A maior parte delas eram em protesto contra as péssimas condições de vida, alta de impostos, autoritarismo e abandono social das camadas mais pobres da população. Neste contexto podemos citar as guerras: Balaiada, Cabanagem, Sabinada, Guerra dos Malês, Cabanada e Revolução Farroupilha. Atualmente temos as guerras entre as torcidas “desorganizadas” do futebol brasileiro onde todos sabem que são compostas por um bom número de marginais infiltrados e o Poder público não toma nenhuma providência eficaz; Temos as guerras das facções criminosas nas cidades e nos presídios que estão tomando conta do País, diante de uma força pública despreparada e mal remunerada; Por fim as grandes guerras nos bastidores do Poder Público onde os milhões e bilhões do País são surrupiados por políticos e autoridades corruptas e grandes empresários mafiosos agregados, é uma verdadeira operação em conjunto de duas das mais temíveis e terríveis facções criminosas do País (Os políticos e os empresário corruptos). Em 23 de julho de 1840 surge um novo grupo de corruptos e interesseiros que resolvem dar o chamado “Golpe da Maioridade” com o apoio do Partido Liberal e declaram a maioridade de D. Pedro II, tem início assim o Segundo Reinado (1840/1889), que dá sequência ao “jeitinho brasileiro”. Em 1889 é proclamada a República do Brasil, e, de lá para cá a corrupção só tem aumentado, o “jeitinho brasileiro” só tem crescido; só tivemos uma trégua nessa corrupção tão latente no País, a qual diminuiu drasticamente no período do Governo Militar, que alguns insistem em chamar de “ditadura”. Um outro exemplo caótico e imoral do famoso “jeitinho brasileiro” foi quando o Brasil foi enganado mais uma vez pela classe política que em 1998 após a aprovação da Emenda Constitucional nº16 de 04 de julho de 1997 no 1º mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso introduz o embuste da reeleição para cargos do poder Executivo, prefeitos, governadores e presidentes, e, desde lá, a corrupção só vem crescendo no Brasil. Desde que teve início a reeleição no Brasil ainda não vi um único prefeito, governador ou presidente fazer um segundo mandato que tenha valido a pena para a população, ainda não vi um. Foi mais um “jeitinho brasileiro”. Mas, diante de tudo isso, a sensação que temos é que uma boa parte do povo brasileiro parece que gosta de ser enganado pelo “jeitinho brasileiro”, quando a cada dois anos reelegem os mesmos políticos; como também gosta de usar o “jeitinho brasileiro” para enganar, quando fura a fila do banco, a fila do supermercado, quando vende o voto por alguns reais, ou um saco de cimento, um remédio, uma consulta médica ou um exame e outras barganhas. Concluímos, portanto, que o problema do Brasil não é a falta de dinheiro ou de produção de riquezas para o País crescer, mas, o problema está na total falta de pudor moral, de ética, de vergonha na cara mesmo, por parte de uma porcentagem da população brasileira que não consegue viver sem o “jeitinho brasileiro”, do pobre ao rico, e, principalmente por uma boa parte dos membros do Poder Público brasileiro que são viciados em corrupção. Deus salve a nossa Pátria.

  7. MAIS UMA EMBROMAÇÃO DO PODER PÚBLICO BRASILEIRO.

    Mais uma vez o governo acha que o povo é burro, se bem que para uma grande parte dos políticos brasileiros o povo é burro mesmo, pois a cada eleição continua elegendo os mesmos políticos. Agora mais uma vez o governo tentando resolver um problema crônico de décadas de roubalheira e corrupção no serviço público, dá mais um exemplo de incompetência para resolver na raiz o problema do déficit da previdência social. Os cortes têm que começar pelas grandes fortunas, pelos salários milionários e mordomias a fugir de vista pelos quais são agraciados os políticos brasileiros e todos os cargos comissionados, desde as prefeituras, passando pelos Estados até chegar ao Governo Federal, e, esse vício terrível de poucos ganharem muito dinheiro em detrimento da maioria do povo brasileiro envolve os três poderes da Nação, Executivo, Legislativo e Judiciário. Pois bem, voltando à Previdência Social: conforme o Projeto do Governo Federal para que um trabalhador tenha direito a aposentadoria integral terá que trabalhar ou contribuir com a previdência por 49 anos ininterruptos. Esse projeto famigerado fere vários pontos do Direito Previdenciário e também vários pontos da Constituição Federal, aliás, quem mais falta com o cumprimento à Constituição do País é o Poder Público, na maioria dos casos, as leis no Brasil só tornam-se eficazes quando é para punir ou tirar direito do trabalhador, do cidadão comum, veja um exemplo: Quando uma decisão judicial é proferida contra o Estado ou contra uma grande empresa em favor do cidadão comum, do trabalhador, são tantos os recursos e as embromações na esfera judicial, que na maioria das vezes o cidadão ou a cidadã morre e não ver o seu direito contemplado, agora quando a decisão judicial é ao contrário, ou seja, contra o cidadão comum, contra o trabalhador e em favor das grandes empresas ou do Estado, aí rapidinho se cumpre, tem Penhora, tem Arresto, tem Prisão, tem até o que não existe na lei, mas o cidadão comum é sempre o prejudicado. Vejam a questão da Samarco, até hoje ninguém recebeu as indenizações e reparações devidas, apesar de já existirem várias decisões judiciais consolidadas, isso é zombar do povo brasileiro. Voltando à Reforma da Previdência proposta pelo Governo Federal: Para tentar convencer o trabalhador brasileiro dessa insanidade o Governo dentre tantas frágeis justificativas destaca uma, a expectativa de vida do brasileiro que, segundo o governo é de 75 anos, e aí faz comparações com países como o Japão cuja expectativa de vida é de 85 anos e os EUA que são de 75 anos e afirma que esses países entre outros considerados países desenvolvidos já têm um sistema previdenciário semelhante a esse que o Planalto deseja aprovar e implantar no Brasil. Só que o Governo Federal esquece que os países desenvolvidos que adotaram esse modelo de Previdência oferecem qualidade de vida para os seus cidadãos como serviços de excelência nas áreas de transporte, educação, segurança, saúde. Infraestrutura, saneamento, enfim, todo um serviço público que faz com que a expectativa de vida dos cidadãos aumente de fato e não de forma fictícia como é o caso dos 75 anos de expectativa de vida aqui no Brasil, que eu mesmo não acredito pelo que nós vemos na prática. Na realidade o Brasil precisa passar de fato por uma reestruturação geral em todas as áreas, principalmente no que diz respeito à honestidade do povo brasileiro que a cada dia é colocada em dúvida, e, quando se fala de autoridade pública com destaque para a classe política é que a coisa fica séria, é difícil alguém confiar. A verdade nua e crua meus amigos, é que nenhuma, absolutamente nenhuma instituição, órgão ou serviço público no Brasil funciona bem. Desafio alguém a me apontar pelo menos um.

  8. Graças a Deus o Juiz Sérgio Moro resolverá essa situação, mandando esse que é o Maior Ladrão da história do Brasil para um Presídio de segurança máxima. Só assim ele vai parar de roubar e enganar o Povo brasileiro.

Deixe uma resposta