Elite empresarial de esquerda vê MBL como ‘problema’ na questão da doutrinação em salas de aula.

por Rafa Silva

As visitas de Fernando Holiday à escolas no município de São Paulo rendeu muito mais que as manchetes da primeira semana de Abril. Conforme apurado por este Jornalivre, uma guerra fria segue em curso conduzida pelo alto empresariado de esquerda paulistano – liderado por Neca Setúbal e Guilherme Leal.

Após obterem o apoio da ONU para suas ações pró-doutrinação, conforme desmascarado por furo deste Jornalivre, a última manobra do grupo foi fazer uso do deputado estadual Carlos Gianazzi, do PSOL, para ingressar com denúncia no Ministério Público por suposta “intimidação” de professores.

Gianazzi advoga em prol dos sindicatos de professores, sendo conhecido agitador de greves no Estado de São Paulo.

Ação da ONU e representação no MP são tentativa de intimidação

As ações articuladas pela elite de esquerda paulista tem como objetivo a intimidação da atividade fiscalizatória do vereador Fernando Holiday. É o que diz Alexandre Santos, um dos coordenadores do MBL. “A experiência em outros países nos mostra que a doutrinação política em sala de aula é a principal frente de trabalho da ação política de esquerda. Ao trazermos luz ao problema, eles resolveram reagir.”

Consultado por este Jornalivre, o vereador Fernando Holiday prometeu manter as visitas a escolas públicas e continuará recebendo denúncias de atividade panfletária dentro de salas de aula.

barros
Filipe Barros , vereador.

Vereadores do MBL se destacam na luta

Além de Holiday, destaca-se no combate à doutrinação política o vereador Filipe Barros, do PRB de Londrina. Representante local do MBL, Filipe promove combate à ação doutrinatória da esquerda nos mais diversos âmbitos educacionais. Além de fiscalizar as escolas municipais, o vereador é o representante da Câmara de Londrina no Conselho da UEL – Universidade Estadual de Londrina, onde é hostilizado por grupos de extrema esquerda.

Filipe, recentemente, discursou na Comissão do Escola sem Partido, em Brasília, gerando grande desconforto para deputados de esquerda presentes no momento. Ele também respondeu de forma enfática a militante do PCdoB Camila Lanes, que se mostrava confusa em depoimento à comissão.

Anúncios

Um comentário sobre “Elite empresarial de esquerda vê MBL como ‘problema’ na questão da doutrinação em salas de aula.

  1. Essa esquerda brasileira reúne o que há de pior na sociedade, já que essa militância conta com sindicalista que compõe a pior classe dessa nação.

Deixe uma resposta