Urgência da reforma trabalhista passa e causa pânico entre sindicalistas. Entenda a reforma

por Rafa Silva

As informações são do G1.

Após rejeitar pedido semelhante, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (19) um requerimento de urgência para acelerar a tramitação do projeto que estabelece a reforma trabalhista.

O pedido de urgência para acelerar a tramitação da reforma foi aprovado por 287 votos a 144 em meio a muito tumulto no plenário. Para que o requerimento fosse aprovado, eram necessários, pelo menos, 257 votos favoráveis.

O objetivo ao aprovar o requerimento, segundo o relator, Rogério Marinho (PSDB-RN), é votar a proposta na comissão especial na próxima terça (25) e, no plenário, na quarta (26).

Com a aprovação da urgência, a comissão especial que debate o tema não precisará aguardar o prazo para a apresentação de emendas, que terminaria somente na quarta. O novo prazo se encerra às 18h de segunda (24).

Durante a sessão, deputados da oposição protestaram e acusaram os parlamentars da base aliada de “golpe”, por entenderem que não haveria amparo regimental para colocar o pedido em votação de novo. Os parlamentares da base, por outro lado, gritavam “voto, voto”, para que o requerimento fosse votado.

Na noite de terça, requerimento idêntico foi rejeitado, pois recebeu 230 votos a favor e precisava de 257. Na ocasião, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que cometeu um equívoco ao encerrar a votação antes que todos os parlamentares da base tivessem votado.

Entenda a reforma

Enviada pelo presidente Michel Temer no ano passado, a reforma trabalhista prevê pontos que poderão ser negociados entre patrões e empregados e, em caso de acordo coletivo, passarão a ter força de lei.

Entre os principais pontos da reforma, estão flexibilização da jornada; fragmentação de férias; remuneração por produtividade; e formação de banco de horas.

Além disso, o projeto de lei prevê regulamentação nas modalidades de trabalho por home office (trabalho em casa) e intermitente, no qual os trabalhadores são pagos por período trabalhado

Anúncios

Um comentário sobre “Urgência da reforma trabalhista passa e causa pânico entre sindicalistas. Entenda a reforma

  1. Sou empresária e deixo de contratar todos os dias por causa de sindicato e a CLT engessada. Tenho uma empresa pequena e tenho demandas que deixo de atender porque não posso quer um departamento de marketing por conta dos custos. No novo formato posso ter um funcionário contratado para 2 ou 3 horas semanas. Posso recolher e pagar todos os direitos pelo período de trabalho. PLR é obrigatório até para empresa que dá prejuízo, como isso é possível ? “PARTICIPAÇÃO DE LUCROS E RESULTADOS “, como o sindicato tem esse poder econômico sobre uma empresa privada ? É claro que a empresa Brasileira quebra ou seja tão frágil ? Temos que valorizar a relação PATRÕES X EMPREGADOS. Fim ao imposto sindical, quero ver se eles vão continuar a fazer barulho a hora que o dinheiro acabar.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s