Requião arrega e retira mentira sobre Moro em projeto de Abuso de Autoridade

por Rafa Silva

Relator da proposta que atualiza a lei do abuso de autoridade, senador Roberto Requião (PMDB-PR), anunciou nesta quarta-feira, 19, que vai retirar menção ao juiz federal Sérgio Moro do seu novo parecer.

 Requião afirmava que Moro foi consultado e teria aprovado o substitutivo, mas acabou sendo desmentido pelo magistrado. Constrangido, o parlamentar faz a leitura do texto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Após atualizar o artigo que trata do chamado crime de hermenêutica, principal divergência entre o senador e os procuradores, o relator escreveu que: “é relevante destacar que, consultado por este Relator, o Juiz Sérgio Moro aquiesceu com a redação ora proposta”.

Posição de Moro

 “Consta, no parecer do senador Requião sobre o projeto da lei de abuso de autoridade, afirmação de que eu, juiz Sérgio Moro, teria sido consultado e concordado com a redação por ele proposta para o parágrafo segundo do artigo 1 do substitutivo. Isso, porém, não é verdadeiro, estando o Senador absolutamente equivocado pois não fui consultado e não concordo com a redação proposta”

Abuso de Autoridade preocupa a Lava Jato

Em vídeo publicado na última Segunda Feira, 17, procuradores da Lava-Jato, liderados por Deltan Dallagnol, manifestaram preocupação com a aprovação do projeto de lei relatado por Requião. De acordo com os promotores, tal legislação tem como objetivo constranger as investigações da operação, que vai chegando agora à sua fase final.

Após a divulgação da Lista de Fachin, cerca de 1/3 dos atuais Senadores apareceram delatados e serão objeto de investigação.

Anúncios

Um comentário sobre “Requião arrega e retira mentira sobre Moro em projeto de Abuso de Autoridade

  1. Requião o povo paranaense se envergonha de vc. meu nome é Isis Bacilla .e te C onheco a muito tempo. Meu pai era Nacim Bacilla Neto e realmente ele não se enganou qto ao seu caráter. Nem qto a outros politicos .Vc não me representa.

Deixe uma resposta