Doria e Bolsonaro crescem em pesquisa; Lula permanece estagnado.

por Rafa Silva

O Poder 360, competente portal de política de Fernando Rodrigues, divulgou hoje pesquisa realizada pelo instituto DATA360, realizado logo após a divulgação da “lista de Fachin”. A pesquisa mostra o ex-presidente Lula (PT) estagnado na primeira posição, com leve avanço na margem de erro em comparação com pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas no mês de Fevereiro.

rapsQuem avançou, porém, foram os candidatos Jair Bolsonaro(PSC) e João Dória Jr.(PSDB), que subiram, respectivamente, de 11,9% para 14% e de 9% para 13%. Marina Silva (REDE) caiu de 13,7% para 9%, demonstrando que sua eterna candidatura presidencial já começa a naufragar antes mesmo de começar.

Cenários com Aécio e Geraldo

Se o candidato tucano não for João Doria Jr, temos dois cenários diferentes. Um contendo Aécio Neves, presidente da legenda, e outro contendo o Governador de São Paulo Geraldo Alckmin. Em ambos os casos, o desempenho é desastroso; Lula mantém a dianteira  mas Jair Bolsonaro (PSC) avança para 19%, aproximando-se perigosamente do petista.

Os resultados desses dois cenários demonstram o enfraquecimento de ambos os tucanos, atingidos pela Lava Jato e incapazes de reagir a um cenário político de polarização. Na análise deste Jornalivre, tanto Aécio quanto Alckmin e Marina não compreenderam a nova lógica da política nacional, ditada pela firme tomada de posições e uma proximidade maior entre representante e representado através das redes sociais.

Segundo o coordenador do MBL Renan Santos, “o problema de Aécio, Geraldo e Marina extravasa a questão das redes sociais. Seu discurso é inadequado e vazio de propósito, negando uma polarização que é muito bem vinda ao debate político nacional“. De acordo com o líder do movimento “para readquirirem competitividade, deverão participar efetivamente do debate político nacional, coisa que Lula, Bolsonaro e Dória já fazem.

Bolsonaro vira realidade

Se aproximando da casa dos 20%, o candidato conservador torna-se realidade. Seu grande adversário no momento é o prefeito de São Paulo, que manteve crescimento constante e desidrata o deputado carioca. Polêmico, Bolsonaro tornou-se presente fora das redes sociais em uma série de entrevistas e reportagens após a pesquisa que o colocava em 2o lugar no mês de Fevereiro.

Além, disso, acentuou suas visitas a cidades do Norte e Nordeste, tendo como grande destaque uma efusiva recepção na cidade de Teresina (PI). Alvo de perseguição jurídico-midiática, Bolsonaro mostrou musculatura e resistiu às investidas de seus detratores -ainda que tropeçando em votações polêmicas na câmara dos deputados.

Agora que se apresenta como realidade, Bolsonaro precisa convencer o eleitorado de centro em questões fundamentais como sua visão macroeconômica para o país e sua capacidade de agregar apoio político em um eventual mandato presidencial a partir de 2019. Tal amadurecimento pode gerar robustez em sua candidatura e reduzir a migração de votos de seu eleitorado para João Doria Jr, mais moderado e dotado de imagem mais positiva quanto a sua capacidade de gestão.

Desafios de Dória

O prefeito paulistano vem apresentando uma leve  – mas constante – queda em seu desempenho em redes sociais. É natural que o encanto inicial esfrie um pouco, e caberá ao alcaide de São Paulo manter sua presença no debate inicial através de outras iniciativas. Apenas assim poderá manter o ritmo de crescimento acelerado nas pesquisas presidenciais.

Outro desafio será o de desvincular-se da visão negativa que seu partido, o PSDB, pode acarretar à sua imagem. Além de possuir diversos caciques arrolados na Lava-Jato, a imagem “bola murcha” do partido pode influenciar negativamente a imagem de Dória. Colocando-se como herdeiro do público das manifestações que encerraram o ciclo petista de poder no país, Dória não poderá ignorar os valores e anseios caros ao setor da população que o elegeu e o alavancou nas pesquisas. Temas como segurança pública, educação e questões morais – áreas onde o deputado Bolsonaro surfa com tranquilidade – serão objeto de forte pressão dos formadores de opinião da Nova Direita, que parecem endossar a pré-candidatura do tucano.

Recentemente, a gestão Doria foi abalada por um conflito entre seu secretário de educação, o esquerdista Alexandre Schneider, e o vereador Fernando Holiday, do MBL. O conflito gerou grandes pressão sobre o prefeito nas redes sociais; Dória foi questionado sobre a coerência de seu projeto político pela primeira vez.

Espera-se que outros momentos como esse voltem a acontecer. A habilidade de Dória em lidar com estes desafios irá determinar o sucesso de seu projeto político.

 

Anúncios

6 comentários sobre “Doria e Bolsonaro crescem em pesquisa; Lula permanece estagnado.

  1. Eu não acredito que : depois de tudo que vem sendo divulgado na política …alguém no Brasil …votaria nesse ladrão chamado Lula .
    Não posso acreditar ….Não posso acreditar …Não posso acreditar …

  2. Nao acredito que com esse pingado de Petista , essa pequena sobra dos Mortandelas , o LULARAPIO com tantas delações e posições de RÉU , esteja com esse percentual nesta disputa … Ha algo por detrás em tudo isso ….!!!!

    1. Lula o lider incontestável da ORCRIM, nao apenas destruiu o passado, mas o presente e o futuro do nosso país.
      Sim, porque qualquer plano de reconstruçao, passa pela necessidade de se reconstruir nossa educaçao, a ética dos governantes e políticos, o sistema de saúde, o sistema de gestao fiscal, em fim, vamos precisar reconstruir todas as áreas da sociedade, e isso levará décadas.
      Será preciso reconquistar a confiança do povo brasileiro e dos investidores.

  3. O neófito Doria é o novo Collor. Uma farsa que está sendo montada às pressas visto o desgaste dos ladrões do PT PSDB PMDB. Será que os Paulistas agora são chegados àqueles que traem seus votos??
    VIVA BOLSONARO 2018!

  4. Se este percentual de Lula for verdadeiro deixo tres observações.
    1a Perdemos o país para os vermelhos e só os verdes para resgatá-lo.
    e/ou
    2a A fome e a probreza é curral de votos.
    e/ou
    3a Somos um povo acéfalo, alienado e chancelamos a nossa falta de cidadania.

Deixe uma resposta