Peleguismo de Lula em favor da Odebrecht em 1980 danifica sua imagem

Por Maurizio Moseley

Organizações sindicais e diversos grupos de interesse ligados ao ex-presidente Lula estão se sentindo especialmente incomodados com as delações de Emílio Odebrecht relacionadas ao peleguismo.

Lula teria criado um mito de que representaria os trabalhadores, mas as palavras de Emílio dão a entender que Lula seria uma espécie de estratégia para combater uma extrema-esquerda mais combativa. A certo momento, Emílio disse: “Lula não tem nada de esquerda. Ele é um ‘bon vivant’”

Emílio também comentou que no início da década de 80, a empresa precisava lidar com uma greve. O papel de Lula nesta greve foi em favor da empresa, e não dos trabalhadores. A partir de então surgiu uma relação entre Lula e a empresa, que em parte tem a ver com a participação da Odebrecht como peça fundamental do maior esquema de corrupção do mundo, o Petrolão.

Os grupos de interesse não estão dando muita trela para as denúncias de corrupção. Mas o peleguismo está pegando muito mal.

Anúncios

2 comentários sobre “Peleguismo de Lula em favor da Odebrecht em 1980 danifica sua imagem

  1. Alguém tem dúvida? Mesmo quem não estava ainda nessa terra naqueles tempos sabe que esse sujeito era um agente duplo…ou melhor, mentia descaradamente para os metalúrgicos e “cumpanheiros” e fazia média com montadoras e outras empresas, claro, em troca de favores… financeiros ou não… podia ser até uma dose da “marvada”… o problema é que ele não parava no primeiro copo. E para quem não viveu nessa época, é só observar a boa vida qur ele teve desde que deixou a militância… e como gostava disso…. falava que gostava doa pobres e tomava Chateau Petrus no jantar… (e ele nem sabe apreciar, o paladar dele é para pinga mesmo)… voltando ao tema, ele nunca disse uma verdade… nem para os pobres, nem para os metalúrgicos e nem para os empresarios… o negócio dele sempre foi do tipo “eu quero é me dar bem”….

Deixe uma resposta