Kalil, de BH, também perdeu a paciência com a zona: “pichador tem que ser perseguido”

Depois que João Doria enfrentou os pichadores de forma direta em São Paulo e foi apoiado pela esmagadora maioria da população, a “moda” começou a pegar.

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, adotou medidas similares e em uma entrevista concedida ao jornal O Tempo disse que “pichador tem que ser perseguido”.

Confira o trecho:

“Na gestão anterior, tivemos uma perseguição ao “pixo”. Gostaria de entender o que o senhor pensa o “pixo”.
Mas pichador tem que ser perseguido.

O senhor tem certeza que quer afirmar isso?
Pichação é diferente de grafitagem. A grafitagem é uma coisa bonita. Estamos lançando um projeto bacana (o Projeto Profeta Gentileza). Agora, ficar rabiscando a parede da cidade, sou contra. Por isso quero grafitar. Ocupar o espaço com arte.

 

Anúncios

Deixe uma resposta