JornaLivre já coletou 256 páginas de evidências de atos cometidos por Dimenstein nas redes

por Hélio Sanchez

Vários moradores da Vila Madalena – infernizados pela opressão causada pelo boteco de Dimenstein – deram a dica que o dono do Catraca Livre tinha comportamento obsessivo-compulsivo, o que é comum em alguns sociopatas. Por isso, Dimenstein atacaria impulsivamente, sem medir consequências inclusive para ele próprio.

Cientes disso, estamos printando e registrando absolutamente todos os posts feitos por Dimenstein a respeito de sua guerra declarada contra quem quer que tenha denunciado o boteco. O resultado disso, até o momento, são 256 páginas de evidências de comportamentos diversos, como falsa comunicação de crime, calúnia, difamação e talvez até falsidade ideológica.

O trabalho será complementado ainda nesta semana, intercalado com todos os posts da mídia independente publicados no período, além de uma análise detalhada dos truques, das artimanhas, das posturas execráveis e de diversas outras formas de intimidação, resultando num trabalho inédito de estudo de como censores e intimidadores de Internet se comportam.

Esse trabalho será apresentado à Corregedoria da Polícia Civil, bem como ao próprio delegado que, segundo Dimenstein, estaria formalizando acusações gravíssimas contra o JornaLivre, mas muito provavelmente esteja apenas sendo vítima das artimanhas do dono do boteco.

Os métodos que Dimenstein utiliza para coletar informações enviesadas – e que muito provavelmente foram utilizados até para coletar uma suposta declaração de Doria contra o JornaLivre – serão detalhados claramente, de modo que ninguém caia mais nos engodos do sujeito.

Anúncios

Deixe uma resposta