Dimenstein se complica de novo ao tratar ação penal como um “negócio milionário”

Gilberto Dimenstein segue postando compulsivamente – como os moradores da Vila Madalena nos informaram que ele faria – e se entregando de novo. Ele afirmou que faria um processo de danos morais contra o JornaLivre, mas, conforme mostramos aqui, todas as afirmações que fizemos foram claramente comprovadas ou colocadas como meras suspeitas, não como acusações.

Agora, ele apela à ameaça de um processo que evidentemente irá gerar uma litigância de má-fé por parte dele.

Observe o que ele diz: “Roger Scar, do site JornaLivre, ligado ao MBL, publica o seguinte: o prefeito Haddad resolveu fechar uma rua apenas para me beneficiar no Programa Ruas Abertas. Leia aqui o post deles —http://bit.ly/2pp4CRp. Se Scar, que mora em Joinnville e nem deve saber chegar sozinho na Vila Madalena, tivesse o trabalho de ler o Diário Oficial veria algo muito simples: essa rua foi escolhida depois de três audiências pedidas pelo Ministério Público. E duas votações feitas com moradores, empresários e trabalhadores da Vila Madalena. Meu negócio milionário é quanto vou ganhar na Justiça por danos morais contra pessoas que publicam e compartilham essas mentiras.”

Mas o post citado por ele comprova que ele está mentindo (o que deve gerar a litigância de má-fé), pois está escrito o seguinte: “Holiday e sua equipe apuraram, de acordo com postagens nas redes sociais, que o ex-prefeito Fernando Haddad teria implementado o programa ‘Ruas Abertas’ exatamente na rua em que ficam dois estabelecimentos comerciais de Dimenstein, somente para favorecê-lo financeiramente, à revelia dos moradores da região.  Talvez não por coincidência, o Catraca Livre promovia a gestão petista no município.”

Observe que o post possui a frase “de acordo com postagens nas redes sociais” e, mais importante, a expressão “teria”. Ou seja, ele novamente se fingirá de vítima de um crime inexistente, configurando mais uma falsa comunicação de crime. Obviamente, isso está printado e guardado.

Uma frase do post dele que o compromete ainda mais é a seguinte: “Meu negócio milionário é quanto vou ganhar na Justiça por danos morais contra pessoas que publicam e compartilham essas mentiras.”

Citar o termo “negócio milionário” é outra comprovação de má-fé na litigância, e, como tal, configura uma evidência para invalidar qualquer processo por parte de Dimenstein. Processos judiciais devem tratar de danos reais, e não serem “negócios milionários”.

Agradecemos ao pessoal da Vila Madalena pelas dicas comportamentais do ex-jornalista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s